Depois das saídas de Guilherme Fiúza Zenha e Ingra Lyberato da comissão responsável por escolher o representante do Brasil no Oscar 2017, o diretor e produtor Bruno Barreto será o novo integrante do grupo. O anúncio foi feito pelo secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Alfredo Bertini, durante a noite de abertura do Festival de Gramado, nesta sexta-feira (26). As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Bruno Barreto traz na carreira clássicos do cinema brasileiro como, por exemplo, “Dona Flor e Seus Dois Maridos” e “Gabriela Cravo e Canela”. O diretor já concorreu no Oscar, em 1998, com “O Que é Isso Companheiro?”. O filme acabou perdendo para o holandês “Caráter”. Entre os projetos mais recentes estão “Flores Raras”, “Última Parada 174” e “Crô – O Filme”.

A comissão formada por nove pessoas está sendo alvo de contestação pela presença do crítico Marcos Petrucelli, o qual fez críticas ao protesto da equipe de “Aquarius” contra o impeachment de Dilma Rousseff no Festival de Cannes 2016. Segundo Bertini, o procedimento para a escolha dos integrantes do grupo foi normal e afirmar não entender o motivo da polêmica. “Escolhemos dois nomes indicados pelas entidades do setor (a Academia de Cinema do Brasil), dois foram nomeados pelo governo e cinco pela Secretaria, como acontece todos os anos”, disse à Folha.

“Nunca liguei para nenhum membro da comissão para dizer qual a orientação do governo. É inverídico achar que o governo tem posicionamento contrário ao filme”, afirmou Bertini em referência a “Aquarius”. O secretário do Audiovisual ainda afirmou que a presença do ministro, Marcelo Calero, para a abertura do Festival de Gramado é uma demonstração de que a gestão Temer não possui nada contra o filme de Kleber Mendonça Filho.

Nota oficial: Comissão de Seleção Oscar 2017

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual, informa que o cineasta Bruno Barreto irá integrar a comissão de seleção do filme representante do Brasil no Oscar, em substituição a Guilherme Fiuza Zenha. A nova indicação está prevista para ser publicada no Diário Oficial da União, na próxima semana. Em seguida, serão cumpridos os ritos legais estabelecidos: o nome será encaminhado à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas para análise e aprovação.

O ministério reitera sua confiança na Comissão de Seleção, bem como na isenção do processo de escolha. A comissão é formada por nomes de reconhecida reputação e conhecimento técnico, que passaram, inclusive, pelo crivo da Academia. Destaca-se que a seleção do filme representante será feita à margem de critérios de natureza política, sendo inócua a criação de ambiente de pressão ou constrangimento com vistas a favorecer ou prejudicar qualquer produção.

O anúncio do resultado da seleção será realizado pela comissão no dia 12 de setembro de 2016. Passada a etapa de seleção, o Ministério estará engajado na torcida para que nosso filme figure entre os cinco finalistas.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Facebook Comments