A vitória do japonês “Manbiki Kazoku”, de Hirokazu Koreeda, decepcionou quem imaginava uma segunda Palma de Ouro para um filme dirigido por uma mulher. Isso se deu pela escolha de Cate Blanchett como a presidente do júri, o qual era composto por sua maioria do sexo feminino. A duas vezes ganhadora do Oscar explicou as escolhas dos vencedores do Festival de Cannes 2018 em coletiva de imprensa após a cerimônia na noite de sábado (19). As informações são do site Deadline.

“Todos nós, homens e mulheres do júri, amamos ver mais diretoras representadas. Sinto que é um caminho forte que a organização do Festival de Cannes com certeza vai explorar ainda mais nos próximos anos, trazendo ainda mais o olhar feminino. Não havia tantas narrativas dirigidas por mulheres quanto eu gostaria. Mas certamente houve algumas performances poderosas – premiamos uma e poderíamos ter premiado outras tantas”, declarou, defendendo ainda a necessidade de diversidade no cinema por trazer novas perspectivas para a arte.

Cate Blanchett afirmou que a escolha para o vencedor da Palma de Ouro foi harmoniosa entre os jurados. “Nenhum sangue foi derramado”, brincou. “Foi um processo muito respeitoso. Foi um ano muito forte e diverso. Então tivemos que ir além do lugar do nosso gosto natural e tentar colocar nossos chapéus ‘objetivos’. E, claro, foi uma decisão do grupo – ninguém liderou o júri”, disse. “Para a Palma de Ouro, é preciso que todos os elementos estejam muito bem reunidos. Os atores e a direção precisaram estar extraordinários,  a mise en scène deve ser profunda, a cinematografia… Foi uma escolha difícil, mas, no final, sentimos que ficamos bastante impressionados com “Manbiki Kazoku”. Não estamos aqui para julgar, estamos aqui para escolher”, disse.

Facebook Comments