Sempre alvo de muita polêmica após cada lançamento de filme, Christopher Nolan revelou uma ideia ousada que teve para fazer “Dunkirk”. O diretor e o irmão e parceiro de diversos trabalhos, Jonathan Nolan, planejavam gravar o drama de guerra sem um roteiro definido. As informações são do site The Playlist.

“Eu cheguei em um determinando ponto onde eu consegui dimensionar a extensão, o movimento e o plano histórico daquilo que eu gostaria que o filme mostrasse. Porque para mim, se trata de uma simples geografia. Mas como meu colaborador de sempre, Nathan Crowley [designer de produção], já estava engatado no projeto, eu fui conversar com ele e sua esposa, Emma Thomas, que também é sua parceira na produção. Eu disse que não queria um roteiro, que apenas queria mostrar a guerra. O que tinha em mente meio que encenar o conflito e filmá-lo. Mas Emma me encarou como se eu fosse maluco e apenas ‘isso não vai acontecer’”, declarou Nolan.

No final das contas, Christopher Nolan fechou o roteiro em 76 páginas sobre dois dos muitos episódios emblemáticos da Segunda Guerra Mundial: a Operação Dínamo e a Batalha de Dunquerque. Na notável operação militar, quase 340 mil soldados aliados foram evacuados sob intenso bombardeio, entre 26 de maio e 4 de junho, da cidade francesa de Dunquerque até a cidade inglesa de Dover. Um desastre decorrente da invasão da França pela forças nazistas em 10 de Maio de 1940, que avançou rapidamente devido à falta de efetiva resistência aliada.

Facebook Comments