Como é interessante notar a maturidade de Richard Linklater. O diretor que parecia dialogar apenas com o público mais jovem, hoje mostra-se como um dos realizadores mais interessantes de Hollywood, com o seu estilo extremamente naturalista, que hoje em dia conversa não apenas com os jovens, mas com pessoas de todas as idades.

Muitas vezes, por tratar de temas considerados menores, como a relação entre as pessoas, de acordo com a vivência que a idade de cada personagem traz, o diretor acaba sendo colocado como um autor menor, estando atrás de realizadores interessados em tratar de questões sociais, ou que tenham maior apelo perante o público e às premiações.

Mas isso está mudando com o tempo. Se antes o diretor de Escola de Rock era considerado apenas competente, depois da trilogia de Antes do Amanhecer, e principalmente após Boyhood: Da Infância à Juventude, seu status tornou-se diferenciado, sua radicalidade naturalista o colocou num posto muito mais elevado, o de um diretor que ultrapassa as barreiras da convencionalidade, que explora de maneira instigante os mecanismos que o cinema e a arte proporcionam para contar histórias, e com isso se tornou uma referência no estilo, o de, através de histórias, recortes do cotidiano, montar um mosaico universal de sentimentos, que nos atravessam justamente pela simplicidade, em alguns casos até pela banalidade das situações. É o que faria as novelas do Manoel Carlos, se não fossem tão… deixa pra lá.

Os 5 melhores filmes do diretor são justamente os que investem mais pesado nessa radicalidade naturalista, e que dialogam com toda uma geração, desde os mais jovens, até os que já estão na meia idade. E isso acontece de maneira tão eficaz porque por trás de tudo isso está um diretor inteligente, que sabe o valor dos momentos de verdade que temos na vida, e que nos mostra essa beleza sem nenhum tipo de artimanha aproveitadora. Se a lágrima vier, é porque não havia como ser evitada, e, pelo menos comigo, elas vieram aos montes, e chorei, e ri, sem culpa.

dazed_wooderson5 – Jovens, Loucos e Rebeldes (1993)

O universo adolescente, quer dizer, o universo das festas adolescentes dos Estados Unidos já foram mostrados diversas vezes em American Pie, Não É Mais Um Besteirol Americano, Superbad e uma série interminável de filmes. Todos, uns melhores sucedidos, outros nem tanto, certamente tiveram influência deste clássico adolescente. Já vi gente que odeia esse filme. Acredito que trata-se de um filme incompreendido por alguns, por seu estilo tratar do… nada que é a adolescência, da sucessão de banalidades e bobagens que é o “complexo” universo adolescente, cheio de caricaturas impostas e assumidas por essas pessoas inseguras com o corte de cabelo, espinhas, e o peso. Além de ser um trabalho divertido e com olhar de dentro, Jovens, Loucos e Rebeldes também é uma chance de podermos ver Ben Affleck, Matthew McConaughey e Milla Jovovich bem novinhos.

before sunset4 – Antes do Pôr do Sol (2004)

Segundo capítulo da aclamada trilogia de Linklater/Hawke/Delpy é uma chance fantástica de vermos os apaixonados e sonhadores personagens de Antes do Amanhecer, e notarmos que eles permanecem… personagens extraordinários. A construção deles permanece densa, verdadeira, complexa e a sua relação ainda é bonita, cheia de paixão, mas o passar dos anos obviamente interfere nas suas visões de mundo, e faz com que vejamos tudo com um outro olhar, menos apaixonado, mais sóbrio, apesar de ainda haver amor ali. Alcançando de maneira exemplar toda a enorme expectativa criada em torno de si, Antes do Pôr do Sol foi o responsável pela continuidade da trilogia, e tem a melhor cena de todos os três filmes, que é o seu desfecho genial.

antes-do-amanhecer-13 – Antes do Amanhecer (1995)

Nunca antes na história do cinema o primeiro encontro de um casal que acabara de se conhecer foi tão charmoso, romântico, divertido, inteligente e… verdadeiro. A apresentação de Jesse e Celine a nós já nos ganha logo de cara, e com o passar das horas só ficamos cada vez mais apaixonados, encantados com aquelas figuras tão bem construídas. Seus diálogos, que aparentavam ser improvisados, de tão naturais, eram situações deliciosas de acompanhar, conduzidas com maestria por Linklater, que sabia curtir o momento. Aliás, essa é uma boa definição para Antes do Amanhecer, um filme que nos convida a curtir um momento, sem se preocupar com coisas menos importantes, e nós os seguimos sem pensar, pois é uma delícia partir nessa jornada.

Antes-da-Meia-Noite-52 – Antes da Meia Noite (2013)

Se com Antes do Pôr do Sol tivemos a chance de vermos de novo aquele casal apaixonado, e de que maneira eles reagiram com a passagem do tempo, Antes da Meia Noite vai ainda mais além, e mostra de que maneira a rotina, duas filhas, e a distância do filho de Jesse interferem na relação do casal, junto há nove anos. Se ainda há amor, se ainda há o desejo de um ficar com o outro, isso não muda o fato de que eles se tornaram mais velhos, adquiriram outros hábitos, mudaram de opinião sobre diversas coisas, e as certezas que tinham ficam cada vez mais escassas. Estabelecendo o ápice da trilogia justamente por ser o filme com mais camadas, mais elementos, por ter situações mais complexas, Antes da Meia Noite imortalizou Jesse e Celine como um dos casais mais importantes da história do cinema, além de ter marcado o ápice, até então, da maturidade de Richard Linklater.

e80deae0-eaa0-11e3-b4ba-352f6369bcf0_boyhood1 – Boyhood: Da Infância à Juventude (2014)

Sei que é errado, mas decidi não me punir. Não seria o prejudicado pelos cinemas de Manaus estarem tão atrasados, vi uma cópia de boa qualidade do filme na internet, baixei. E não me arrependi nem por um segundo. Boyhood é fantástico! É um acontecimento, um experimento que ultrapassa as linhas divisórias do cinema, um filme simplesmente obrigatório. Coletando uma série de acontecimentos, uns mais, outros menos importantes, Boyhood acompanha o desenvolvimento de um garoto saindo da infância, entrando na juventude, passando pelo descobrimento de novas sensações, de não entender o rumo de certos acontecimentos da vida, e isso fica na tela de maneira marcante, conversando com as nossas próprias sensações, criando uma experiência transcendental. Linklater entrou para a história do cinema com este trabalho, simplesmente imperdível.

O pior

film badnewsbearsSujou… Chegaram os Bears (2005)

Aqui temos nitidamente um trabalho menor do diretor, que pelo excesso de falta de ambição fez um filme que diverte, entretém, mas nem de longe alcança o resultado de seus filmes mais famosos, que também podem não ter grande ambição, mas certamente nos tocam muito mais. Nada que se configure como uma falha ou erro, mas como uma iniciativa menos bem sucedida do diretor.

Facebook Comments