Com 22 longas-metragens e sete curtas, a capital paulista receberá, a partir de 5 de novembro, toda a diversidade da produção cinematográfica contemporânea da Alemanha. A terceira edição da mostra Panorama Alemão traz filmes premiados em importantes festivais de todo o mundo. São obras de diretores consagrados e também de talentos emergentes. O festival vai até o dia 12 de novembro no Espaço Itaú, na Rua Augusta, região central.

Um dos destaques é A Outra Pátria, do cineasta Edgar Reitz, um dos idealizadores do Novo Cinema Alemão. A curadora da mostra, Barbie Heusinger, conta que a história retrata a situação da Alemanha há 150 anos. “Um filme em preto e branco que tem quase quatro horas, mas que é lindo”, ressalta sobre a obra, que lembra a imigração dos europeus para a América do Sul, fugindo da miséria nos países de origem.

O longa Ocidente mostra uma parte da história da Alemanha que não foi muito contada”, segundo Barbie. O drama se desenrola a partir do momento em que Nelly consegue emigrar da Alemanha Oriental no fim da década de 1970. “Mas ela tem alguns problemas porque seu ex-namorado foi colaborador do governo”, acrescenta a curadora sobre a trama que recebeu o Prêmio Alemão de Cinema 2014.

Com uma história mais simples, Barbie destaca que A Camareira foi bem recebido pelo público do Festival do Rio deste ano. “É um filme lindo”, comenta sobre o filme que gira em torno de Lynn Zapatek. Funcionária de um hotel, ela se esconde sob as camas dos hóspedes durante a noite para descobrir segredos de suas vidas. A ideia é do premiado roteirista Ingo Haeb.

Os curtas-metragens apresentam, segundo Barbie, os novos talentos do cinema alemão. Nessa categoria, uma de suas recomendações é Rinoceronte a Galope, de Erik Schmitt. O filme conta a busca de Bruno pelas ruas de Berlim por algo que vá além das aparências.

Facebook Comments