Recentemente Eduardo e Flávio Bolsonaro fizeram uma visita a Manaus. Na ocasião, Eduardo, deputado federal, declarou a um portal da cidade que “o Brasil elegeu um Presidente conservador sem ter um grande canal midiático conservador”. Tal afirmação possibilita um diálogo interessante com “Blackout”, ficção científica dirigida por Rossandra Leone.  

Roteirizado pela própria Leone ao lado de Pedro Gomes, o curta mostra um Rio de Janeiro futurista, onde os bailes na favela são carregados de iluminação neon e artistas negros como Linn da Quebrada se tornaram referência para jovens idealistas. Apesar disso, o racismo, machismo e violação de direitos de minorias prossegue, sendo esta  a relação de poder estabelecida entre o poder público e a favela. E é nesse ponto que a fala do deputado federal paulista encaixa-se na produção.

Somos levados a uma sala de interrogatório, onde uma mulher negra é acusada de ter ideias próprias. Leone replica máximas embutidas no discurso conservador como os xingamentos, a falsa visão sobre cotas e privilégios, além do tratamento destinado à mulher negra. Por mais absurdos que muitas dessas falas possam soar, ouvi-las na rua ainda é algo frequente e parece inerente a muitos brasileiros. Curiosamente, a acusação do governo a Luana (Adrielle Vieira) encontra raízes na ideologia e no posicionamento da personagem em defender jovens negros de comunidades.

Vale ressaltar, nesse ínterim, a personificação adotada pelos algozes de Luana, uma espécie de “Matrix”. Enquanto saem às ruas em busca de bloqueadores de memória, uma espécie de aparelho que inibe a lavagem cerebral imposta pelo governo as comunidades, assemelham-se aos agentes da “M.I.B”. No entanto, o tom adotado no interrogatório deveria remeter ao Agente Smith, mas a interpretação de  Marcéu Pierrotti deixa a desejar.

Quem também não consegue encontrar um tom mordaz é Vieira que varia entre falas arrastadas e o exagero. Apesar disso, ela se sobressai quando não necessita de diálogos, prova disso são suas cenas iniciais como hacker e o momento mais angustiante do filme quando cortam suas tranças e a colocam dentro de um figurino que remete bastante as roupas usadas pelas martas e aias de “The Handmaid´s Tale”. A cena consegue transmitir a violência e o estigma destinados ao negro e a mulher, cada vez mais frequentes em 2020.

O mais interessante em “Blackout”, contudo, é perceber como a ficção científica tem encontrado abrigo entre as produções brasileiras e sendo utilizada de forma criativa, fugindo dos velhos estereótipos do gênero e apresentando, realmente, características nacionais. Embora os diálogos e as atuações não consigam ampliar a discussão em torno de política e preconceito, é satisfatório poder ver uma mulher negra lutando pelos direitos das comunidades.

‘Sibéria’: viagem fascinante pelo nosso abismo interior

Há muitos lugares onde é possível se perder, mas talvez o mais profundo e remoto deles seja dentro de si mesmo. "Sibéria", novo filme de Abel Ferrara que estreou na Berlinale e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é uma viagem lisérgica que pede muito do...

‘Os Sete de Chicago’: drama de tribunal eficiente com elenco fabuloso

“Isso é um julgamento político”. Essa afirmação feita por Abbie Hoffman (Sacha Baran Cohen), e notoriamente ignorada por seus companheiros de defesa nos fornece o tom de “Os Sete de Chicago”, filme de Aaron Sorkin disponível na Netflix. A produção se baseia em um dos...

‘Sertânia’: cinema como luta e resistência às agruras do sertão

Que a idade não é impeditiva para grandes diretores seguirem fazendo trabalhos excelentes a cada ano não é novidade – Manoel de Oliveira e Martin Scorsese, talvez, sejam os casos mais exemplares nos anos 2010. Porém, aos 81 anos, Geraldo Sarno, figura fundamental para...

‘Black Box’: ficção científica lembra episódio esticado de série

Entender como funciona o nosso subconsciente parece ser um daqueles mistérios que nunca acabará, nem mesmo se um dia forem criadas máquinas que leiam o pensamento humano. A arte, de forma geral, tenta ofertar soluções que sanem a nossa curiosidade. No cinema, por...

‘O Reflexo do Lago’: documentário fica pela metade em muitos caminhos

Primeiro filme paraense a ser exibido no Festival de Berlim, “O Reflexo do Lago” tateia por diversos caminhos da Amazônia e do documentário ora acertando em cheio pela força das suas imagens ora tropeçando nas próprias pernas pelas pretensões colocadas para si. Nada...

‘Mães de Verdade’: os tabus da honra e da adoção em belo filme

Destaque da programação da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2020, “Mães de Verdade” é o novo filme da prolífica diretora japonesa Naomi Kawase (“Esplendor”, “O Sabor da Vida”). A produção bebe da fonte do melodrama para contar uma história de honra e...

‘Cabeça de Nêgo’: candidato forte a filme do ano do cinema brasileiro

Inspirado no movimento de ocupação de escolas ocorrido em São Paulo no ano de 2015, “Cabeça de Nêgo” é um manifesto de rebeldia ao racismo, anti-sistema e contra a precariedade da educação pública brasileira. Faz isso aliando um discurso social engajado, altamente...

‘The Boys in the Band’: leveza para abordar assuntos sérios

Dirigido por Joe Mantello (“Entre Amigos”), “The Boys in the Band”, disponível na Netflix, é mais um daqueles filmes que segue a linha verborrágica. Baseada na peça da Broadway de mesmo nome, a produção conta com um elenco estelar e assumidamente gay para narrar uma...

‘Cavalo’: resistência negra em potente obra alagoana

Para quem vive em Estados periféricos relegados constantemente ao segundo plano no contexto nacional, certas conquistas abrem portas consideradas impossíveis em um passado não tão distante. Em relação ao cinema nacional, a política de regionalização do nosso cinema...

‘Nardjes A.’: documentário se deixa levar pela empolgação de protestos de rua

Não há como não lembrar dos movimentos de rua daquele Brasil de junho de 2013 ao assistir “Nardjes A.”. Afinal, as imagens de ruas tomadas de manifestantes jovens com gritos de indignação e a sensação de esperança de que estavam lutando pelo futuro melhor de seu país...