Famoso pela conceituada franquia de animação ‘Kiriku’, o francês Michel Ocelot destaca novamente a cultura africana com ‘Dilili em Paris’. Apesar da animação em 2D não surpreender visualmente com as técnicas adotadas, a trama cercada de críticas sociais e personalidades famosas torna-se uma ótima apresentação de Paris na Belle Époque.

Desta vez, sua figura central é a jovem Dilili, uma kanak que desembarca na cidade luz por acidente. Junto do entregador Orel, a personagem decide investigar o desaparecimento de meninas na cidade, revelando a ação de uma organização secreta criminosa.

Apesar do tom leve de lidar com a narrativa, Ocelot se preocupa em permanecer próximo a realidade, principalmente no que diz respeito às diferentes culturas envolvidas. Como uma imigrante, Dilili possui uma aceitação mista pelos lugares que passa, com constantes episódios de racismo contra a personagem.

Tais acontecimentos são uma previsão da densidade que a história adota em sua parte final ao revelar o destino das meninas desaparecidas. Com um ar fantasioso e um argumento novamente verossímil descobrimos que a organização chamada “mestres do mal” busca impor um retrocesso a independência feminina alcançada até então.

DENSIDADE SURPREENDENTE DA TRAMA

Ao escolher Paris como seu cenário, o diretor apresenta a cidade por meio de fotografias sobrepostas com a animação em 2D. Essa mistura definitivamente é mais prática para que o público reconheça os cenários parisienses, porém, acaba se tornando ineficaz quando o assunto é imersão.

Por outro lado, o roteiro do longa constantemente alimenta o espectador com novos personagens dentro de seus diversos cenários. De forma bem divertida, Ocelot consegue envolver figuras históricas em sua trama indo de Marie Curie até Santos Dumont. O brasileiro, inclusive, faz parte de uma das cenas mais belas do longa com o resgate das meninas sequestradas.

Apesar do roteiro adotar muitas justificativas fáceis e até mesmo possuir um problema estrutural de ritmo, é justamente a mudança brusca de uma Paris ensolarada para os terrores enfrentados pelas jovens desaparecidas que tornam a trama mais densa. Assim, se deixarmos de lado as fragilidades do roteiro e o estranhamento visual das técnicas adotadas, ainda restará uma história importante, verossímil e tão encantadora quanto sua protagonista.

Cinemas de Manaus iniciam vendas de ingressos para ‘Mulher-Maravilha 1984’

Para fechar o caótico ano dos cinemas, “Mulher-Maravilha 1984” chega em todo o Brasil a partir do dia 17 de dezembro. Os cinemas de Manaus já iniciaram as vendas para as sessões nos seguintes horários: Cine Araújo Shopping Manaus Via Norte – 21h00 (Legendado) / 14h00,...

Christiane Torloni, Aurélio Michiles e Sérgio Andrade são convidados do Cineamazônia

Festival de cinema mais longevo da atualidade da Região Norte do Brasil, o Cineamazônia chega à 17ª edição entre os dias 1 e 5 de dezembro. Por conta da pandemia da COVID-19, o evento neste ano será totalmente online e 100% com acesso gratuito ao público. Além dos...

Mostra online de cinema de horror brasileiro ganha mais cinco dias

Depois de quase um mês dedicado aos filmes de terror brasileiros a mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo, promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil, vai oferecer uma segunda chance para o público assistir aos filmes. De 25 a 29 de novembro, a mostra...

Festival Curta Cinema apresenta melhor do cinema brasileiro e mundial

O Festival Curta Cinema – Festival Internacional de Curtas-Metragens do Rio de Janeiro chega a sua 30ª edição, trazendo o mais significativo das produções dentro e fora do Brasil, agora totalmente online. De 20 a 28 de novembro, as Mostras Competitiva Nacional e...

Candidato do Brasil no Oscar 2021, ‘Babenco’ estreia em Manaus nesta quinta

O premiado "Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou" chega aos cinemas de Manaus nesta quinta-feira (26). A produção dirigida por Bárbara Paz será o representante do Brasil no Oscar 2021 de Melhor Filme Internacional e ganhou o prêmio de Melhor...

Gravado em Manaus, ‘A Febre’ ganha distribuição nos EUA

"A Febre" pode até não ter conseguido a vaga brasileira para o Oscar 2021, porém, isso não significa que a produção de Maya Da-Rin ficará fora do circuito norte-americano. Distribuidora baseada no Brooklyn, a KimStim adquiriu os direitos do longa para os EUA. O filme,...

UCI em Manaus abre reservas para sessões privadas com até 20 pessoas

Em meio ao caos instalado na pandemia da COVID-19, as redes de cinema tentam achar estratégias para atrair o público da volta às salas. A UCI, por exemplo, lançou o projeto 'Sessão Amigos' em que se pode reservar uma sala de forma exclusiva para até 20 pessoas. Os...

‘À Luz Delas’ aborda trajetórias de grandes mulheres na direção de fotografia no Brasil

Oito histórias não contadas de grandes nomes do audiovisual nacional ganham destaque no novo documentário “À Luz Delas”, de Nina Tedesco e Luana Farias. Baseado na pesquisa “Mulheres atrás das câmeras: inícios de uma trajetória“, realizada desde 2014 na Universidade...

Cineamazônia 2020 seleciona ‘O Barco e o Rio’, ‘Zana’ e ‘O Príncipe da Encantaria’

O audiovisual do Amazonas estará em dose tripla no Cineamazônia – Festival de Cinema Ambiental 2020: "Zana - O Filho da Mata", de Augustto Gomes; "O Barco e o Rio", de Bernardo Ale Abinader; e "O Príncipe da Encantaria" estão selecionados para as mostras competitivas...

Tradicional Cine PE seleciona ‘Manaus Hot City’ para edição 2020

Dirigido e roteirizado por Rafael Ramos, "Manaus Hot City" segue colecionando participação em importantes festivais do circuito brasileiro. A produção, agora, está selecionada para o tradicional Cine PE 2020. O evento terá edição online, em parceria com o Canal Brasil...