Criado por Bram Stoker, Drácula já ganhou diversas versões com o passar do século, seja no cinema, animações, gibis, games e séries de televisão. Nesta versão em formato de minissérie, feita pela BBC com a Netflix, temos uma nova adaptação, uma (não tão) nova abordagem em uma versão que nos faz perguntar: por que diabos deixaram produzir isso?

A dupla Steven Moffat e Mark Gatiss, de “Sherlock”, implementa o mesmo modelo narrativo da série do detetive britânico em “Drácula”. São três episódios com cerca de uma 1h30 de duração em que acompanhamos o desenrolar da clássica trama até desandar em uma horrenda conclusão.

Uma nova visão a respeito de uma obra ou um personagem é sempre bem-vinda, principalmente quando os novos elementos e perspectivas são bem explorados, o que aqui não é o caso. As decisões tomadas a respeito de alguns dos personagens principais do livro clássico e seus destinos logo no primeiro episódio só não são um completo desastre, pois a caracterização e design de produção ajudam bastante. A paleta de cores sombria é correta, criando muito bem uma atmosfera claustrofóbica e opressora, no interior do Castelo do Conde.

A partir do segundo episódio conseguimos ter uma dimensão de como a série vai se sabotando. Os clichês e piadas se repetem a todo momento – entendemos o Drácula não beber vinho – além de um excessivo número de viradas na trama. Temos de personagem assumindo a identidade de uma pessoa e depois se arrependendo (não é preciso explicar a razão) a pessoas escapando da morte de maneira milagrosa. Apesar de ser uma personagem espirituosa, a irmã Agatha (Dolly Wells) precisa ter seus conflitos internos apresentados e resolvidos na mesma cena?! Fora soluções bizarras que desafiam qualquer lógica.

VERDADEIRA PERDA DE TEMPO

A ideia de apresentar o Drácula para o contexto atual não é nova, porém, aqui tem um potencial altamente desperdiçado. A inclusão da era digital na trama supostamente poderia render algo mais ambicioso, mas o roteiro resolve se entregar a um humor bizarro. Drácula lidando com celular, tablet, televisão e advogados para escapar de cárcere privado – ok, confesso que ri nessa, apesar dos absurdos.

Alçado ao sucesso mundial por “The Square”, Claes Bang até empresta dignidade ao personagem, fazendo o que pode para salvar a minissérie. O seu Drácula começa assustador e, aos poucos, vai se tornando canastrão. E o ato final é pavoroso, anticlimático, não sendo totalmente esquecível apenas por conta da frustração que ele causa.

Drácula passa a série toda dizendo que toma vidas; pensei que estava se referindo apenas às suas vítimas onde ele consume o sangue, mas, no fim, percebi que tinha me tornado mais uma delas. Um tempo que não recupero.  É sempre importante lembrar que Drácula é um Conde e, pelo título, merecia mais respeito.

‘Better Call Saul’ – Episódios 5×01 e 5×02: a diversão de Saul Goodman

Estamos chegando ao fim... A quinta e penúltima temporada de Better Call Saul começa a sua exibição na Netflix com dois episódios, o 5x01 “Mago” e o 5x02 “50% de Desconto”. Ver essa dobradinha de episódios confirma que as peças estão começando a se alinhar no...

‘Ragnarok’: Thor encontra história de ‘Malhação’ em série sofrível

Neil Gaiman com o seu fantástico “Deuses Americanos” inseriu como os deuses antigos viveriam nos tempos atuais. A série norueguesa “Ragnarok” apresenta proposta semelhante, mas, diferente da road Ttip do consagrado escritor, introduz os seres mitológicos nórdicos no...

Os Candidatos do Oscar 2020 no Mundo das Séries

Da favorita Laura Dern até Adam Driver, Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida recordam os candidatos ao Oscar 2020 com passagem pelo mundo das séries. https://www.youtube.com/watch?v=QoiYQ1UmSOc

De ‘Lost’ a ‘Watchmen’: as marcas de Damon Lindelof no mundo das séries

Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida abordam as características da carreira de Damon Lindelof, showrunner de séries como "Lost", "The Leftovers" e "Watchmen". https://www.youtube.com/watch?v=W3TmRjhnokM

‘The Witcher’: Vale a Pena ou Não? (COM SPOILERS)

Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida recebem Erick Oliveira para um bate-papo sobre "The Witcher". A série da Netflix, de fato, merece todo o hype ou é superestimada? Também vamos tratar sobre as teorias do que podemos ver na segunda temporada. ALERTA DE SPOILERS: MÁXIMO!...

‘Drácula’: adaptação da Netflix para deixar Bram Stoker envergonhado

Criado por Bram Stoker, Drácula já ganhou diversas versões com o passar do século, seja no cinema, animações, gibis, games e séries de televisão. Nesta versão em formato de minissérie, feita pela BBC com a Netflix, temos uma nova adaptação, uma (não tão) nova...

‘Titãs – Segunda Temporada’: roteiros péssimos derrubam série da DC

Atenção: Esse texto contém spoilers  -- Como fã de quadrinhos sempre procurei adaptações com classificação indicativa para maiores de 18 por gostar dos temas densos e cenas de luta mais trabalhadas e até mesmo violentas. Por isso, ‘Titãs’ logo se mostrou como uma...

TOP 5: Grandes Diretores Atuais de Cinema no Comando de Séries

De David Fincher a Ava DuVernay, Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida trazem cinco diretores de cinema com passagens por importantes séries de televisão. https://www.youtube.com/watch?v=wy44YCXD46I

O Segredo do Sucesso de ‘Law and Order SVU’

Atendendo a pedidos sobre séries policiais, Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida mostram os motivos que tornam 'Law and Order: Special Victims Unit' um grande sucesso. https://youtu.be/OKNZy9UBlsg

Cinco Séries Para Ficar de Olho em 2020

Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida abrem 2020 com cinco dicas de séries que devem ser destaques neste novo ano. https://youtu.be/2cMkDdWU6MA