Como qualquer estudioso de Freud pode afirmar, tesão pode ser algo complicado. Em “Instinct”, estreia da atriz Halina Reijn na direção, uma nefasta atração dentro de um presídio explora os limites entre desejo e razão. Ancorado em uma atuação corajosa de Carice van Housen (a Melisandre da série “Game of Thrones”), o longa premiado em Locarno (onde estreou) e exibido no Festival de Londres é o candidato da Holanda na corrida ao Oscar de Melhor Filme Internacional 2020.

Aqui, van Housen interpreta Nicoline, uma terapeuta reservada que começa um novo trabalho numa prisão holandesa, onde é responsável por analisar o perfil dos presos prestes a serem soltos ou a serem postos em liberdade condicional. Um deles, Idris (Merwan Kenzari, o Jafar do novo “Aladdin“), mexe com ela de uma maneira inesperada.

Isso não é “Romeu e Julieta” entre grades: Idris está pagando pena por múltiplos estupros violentos e sabe muito bem que precisa convencer o grupo de terapeutas da prisão para conseguir sua condicional. Nicoline percebe a performance dele logo de cara e sua percepção só é reforçada quando ela percebe que todos os seus colegas de trabalho acreditam piamente na regeneração do preso.

O que se segue é um tratado sobre roleplay: Idris precisa fazer o papel do criminoso arrependido e Nicoline precisa fazer o papel de terapeuta durona. O problema é que, mesmo com todo o seu preparo profissional, ela acaba deixando esse jogo se transformar em uma sedução arriscada para ambos.

LINHA TÊNUE ENTRE LOUCURA E RAZÃO

O argumento mais potente que “Instinct” faz é o de que a linha que separa os sãos e os loucos é muito tênue e inteiramente dependente de performatividade. Há algo profundamente disfuncional na maneira como Nicoline às vezes se comporta como uma criança e tem uma relação estranha com a mãe, que a toca em lugares estranhos e aparece na sua casa para dormir sem avisar. O longa sugere que ela é uma pessoa traumatizada, mas como consegue se portar como alguém “normal”, ela é permitida a viver em sociedade.

A partir desse trauma, a sensação de poder que exerce sobre Idris se torna parte do erotismo da relação entre eles. A forma como o roteiro de Esther Gerritsen (a partir de uma ideia de Reijn) inverte a dinâmica estuprador-mulher em perigo é eficaz em desestabilizar o espectador, que fica a todo momento sem saber quem está realmente em risco.

A seu modo, a forma como Nicoline persegue o desejo a despeito de qualquer racionalidade torna esse filme um irmão mais realista de “Um Estranho no Lago“. Como no suspense de Alain Guiraudie, em “Instinct”, a noção de perigo pouco ou nada importa quando o tesão bate à porta. Freud explica.

‘Delia Derbyshire: The Myths and Legendary Tapes’, o retrato multifacetado de uma viajante do tempo

https://www.youtube.com/watch?v=CM8uBGANASc O tradicional seriado “Doctor Who” completou 57 anos em novembro de 2020. A música-tema - um dos primeiros inteiramente eletrônicos criados para a televisão - entrou para os anais da ficção científica e, ainda que diversos...

‘David Byrne’s American Utopia’, a sequência espiritual de ‘Stop Making Sense’

Em certo ponto de "David Byrne's American Utopia", filme que registra o recente show que Byrne apresentou na Broadway, o músico faz questão de lembrar o público do Teatro Hudson, em Nova York, de que tudo o que eles estão ouvindo é gerado ao vivo. Ele admite não ter...

‘Cicada’: delicado romance marcado por traumas masculinos

Com uma poderosa abordagem sobre traumas masculinos, "Cicada" é um corajoso drama que aponta Matthew Fifer como uma nova voz do cinema queer dos EUA. O filme de Fifer e Kieran Mulcare, que estreou no Festival Outfest em Los Angeles e foi exibido no Festival de Londres...

‘Ammonite’: um cansativo sub-‘Retrato de uma Jovem em Chamas’

Depois do sucesso de seu primeiro longa, "O Reino de Deus", Francis Lee torna a apostar em um romance LGBT em sua nova produção, "Ammonite". No entanto, as semelhanças entre os filmes acabam por aí. Mesmo contando com performances poderosas de Kate Winslet e Saoirse...

‘A Voz Humana’: Tilda Swinton hipnotiza em Almodóvar menor

Unindo dois titãs do cinema, "A Voz Humana" é um filme cuja primeira foto de bastidor já foi suficiente para quebrar a internet cinéfila. A visão do diretor espanhol Pedro Almodóvar ao lado da atriz britânica Tilda Swinton veio cheia de promessa e o curta - que...

‘Um Crime Comum’: angústia da culpa domina belo thriller argentino

Combinando thriller psicológico e drama social, "Um Crime Comum", novo filme de Francisco Márquez, vê uma mulher entrar em colapso diante de um senso de culpa coletiva. Uma co-produção Argentina-Brasil-Suíça, o longa, que estreou na Berlinale, marca a única presença...

‘Another Round’: Mads Mikkelsen arrasador em comédia ácida

Se você queria ver Mads Mikkelsen bebendo até cair e mostrando um certeiro timing cômico, você acaba de achar seu filme do ano. "Another Round", longa de Thomas Vinterberg que estreou em Toronto e foi exibido no Festival de Londres deste ano, reúne o cineasta com o...

‘Fábulas Ruins’: conto italiano totalmente perdido

Era uma vez, nos subúrbios de Roma, crianças que tentaram sobreviver às férias de verão a despeito de seus pais e responsáveis. Esse é o mote de "Fábulas Ruins", drama italiano que estreou na Berlinale - onde ganhou o prêmio de melhor roteiro - e foi exibido no...

‘El Prófugo’: suspense digno dos clássicos do ‘Supercine’

Após um evento traumático, uma dubladora se vê às voltas com um estranho fenômeno em "El Prófugo", suspense argentino que estreou na Berlinale e foi exibido no Festival de Londres deste ano. Depois de brincar com a comédia policial em seu primeiro longa "Morte em...

‘Never Gonna Snow Again’: curiosa história de um super-herói do leste europeu

De uma terra desolada pela radiação, um viajante chega a uma cidade e, com estranhos poderes, se dedica a mudar a vida de seus habitantes. "Never Gonna Snow Again", drama polonês exibido no Festival de Londres deste ano, pode não pertencer à franquia da Marvel ou da...