Em “Make Up”, uma mudança para a costa da Cornualha vira um grande problema quando o ciúme de uma garota se transforma em obsessão. A estreia de Claire Oakley na direção é um estudo inovador sobre o funcionamento interno do desejo e sua atmosfera sombria pede o tratamento de exibição naquelas sessões da meia-noite. 

Ruth (Molly Windsor), de 18 anos, decide morar com seu namorado Tom (Joseph Quinn), que vive e trabalha em um refúgio remoto. Ela se sente deslocada desde o início e a distância entre ela e seu namorado começa a crescer. Não muito tempo depois, ela passa a encontrar fios de cabelos – vívidos, vermelho brilhante – em pontos comprometedores entre as roupas de Tom, gerando desconfianças cada vez maiores. 

Ciumenta, ela começa a pensar que a impetuosa Jade (Stefanie Martini), outra funcionária do retiro, é a culpada e tenta estabelecer um relacionamento com ela para investigar o assunto mais a fundo. O que se segue é uma toca de coelho psicossexual, onde nada é o que parece e o mais assustador é a verdadeira natureza de uma pessoa. 

SEM ESCAPATÓRIA 

O roteiro, escrito por Oakley, está muito interessado em como a sexualidade pode tirar o melhor de nós quando menos esperamos e como estamos inevitavelmente presos a ela. Em sua angústia excitada, Ruth começa a ver coisas que podem ou não estar lá e sua experiência da realidade torna-se sua própria camisa de força – para a qual ela busca desesperadamente uma chave. 

Nesse contexto, os elementos do filme tornam-se altamente simbólicos. O mar, uma força da natureza da qual Ruth tem medo, é algo a ser superado. A ruiva é o bode expiatório de suas obsessões. E as mudanças visuais fornecidas por Jade são um sinal da confiança que ela deseja ter – e pode ser apenas dela se ela for corajosa o suficiente. Como título, “Make Up” (“Maquiagem”, em tradução literal) aponta para os produtos que ela começa a usar para se sentir bem e sua forma de processar o ambiente. 

De tantas produções queer tingidas de rosa lançadas recentemente, “Make Up” merece crédito por lidar com o oposto tonal. É o pavor absoluto de um despertar sexual confuso, especialmente em um ambiente que não parece envolvente. Ruth sabe que Jade tem uma má reputação por ser gay, mas, no final das contas, o coração quer o que quer e ela não vê escapatória. 

A decisão de fazer as voltas e reviravoltas da mente de sua protagonista guiar a narrativa torna o filme sinuoso, o que significa que, mesmo em 86 minutos rápidos, ele se alongue em alguns momentos. Ainda assim, ao sondar ferozmente a autodescoberta de uma garota, “Make Up” mostra que, em uma noite escura da alma, revelar-se a si mesmo pode ser sua própria fonte de horror. 

‘Bela Vingança’: resposta ácida e catártica contra a cultura do estupro

“Bela Vingança” (péssimo tradução e até com spoilers de “Promising Young Woman”) consegue embrulhar o estômago do espectador muito mais do que 99% dos filmes de terror com tripas voando ou o sadismo de um Eli Roth. Esta mistura de comédia, drama e terror dirigida e...

‘Uma Noite em Miami’: ícones da cultura negra convidam à resistência

Chega a ser curioso como “Uma Noite em Miami” ganhou configurações diferentes ao longo do tempo até o lançamento em janeiro de 2021. Afinal, na época em que foi idealizado e gravado, os EUA tinham Donald Trump no comando com sua política de lei e ordem a todo vapor...

‘Mulher Maravilha 1984’: DC regride com bomba vergonhosa

A história se repete, certo? Passamos a vida ouvindo esse ditado, e parece que é verdade mesmo. No panteão dos quadrinhos super-heróicos da DC Comics, Superman, Batman e Mulher Maravilha são conhecidos entre os fãs como “a trindade” da editora. São reconhecidamente os...

‘Soul’: brilhante animação sobre quem realmente somos

“Editor-chefe do Cine Set. Exerce o cargo de diretor de programas na TV Ufam. Formado em jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas com curso de pós-graduação na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo”.  Você encontra este texto na parte ‘Sobre o Autor’ desta...

‘O Céu da Meia-Noite’: George Clooney testa paciência em sci-fi sofrível

Galã charmoso dos moldes da Hollywood nos anos 1950, George Clooney construiu gradualmente uma trajetória para além deste rótulo. Depois de aprender com o fracasso de “Batman & Robin”, ele começou a selecionar melhor os projetos em que se meteria – até venceu o...

‘The Nest’: elegante jogo das aparências mistura drama e terror

Depois de surpreender com uma narrativa envolvente no longa de estreia em “Martha Marcy Mae Marlene”, Sean Durkin retorna nove anos depois com “The Nest” (“O Ninho”, em tradução literal). Acompanhado de atuações excelentes de Carrie Coon e Jude Law, ele traz o...

‘Let Them All Talk’: Soderbergh entre Bergman e Allen sem ser incisivo

'Galera, é o seguinte: estou pensando em fazer um filme todo gravado em um transatlântico. Vocês topam?’.  Se receber um convite destes seria tentador por si só, imagine vindo de Steven Soderbergh, diretor ganhador da Palma de Ouro do Festival de Cannes em 1989 por...

‘A Voz Suprema do Blues’: estado puro dos talentos de Viola Davis e Chadwick Boseman

"A Voz Suprema do Blues” reúne a mesma trinca de “Um Limite Entre Nós”: Viola Davis de protagonista em um filme produzido por Denzel Washington baseado em uma peça do dramaturgo August Wilson. Além dos nomes envolvidos, o projeto da Netflix guarda as qualidades – um...

‘First Cow’: uma lembrança sobre a necessidade da solidariedade

Não me surpreendo caso muitos perguntem os motivos de “First Cow” ser tão badalado e elogiado pela crítica internacional. Muito menos de uma possível insatisfação generalizada caso o longa dirigido, roteirizado e montado por Kelly Reichardt (“Certas Mulheres”) chegue...

‘À Luz do Sol’: potência de protagonistas ilumina a tela em documentário paraense

Documentário paraense selecionado para a mostra competitiva do Festival Olhar do Norte 2020, “À Luz do Sol” segue o caminho de produções como o amazonense “Maria”, de Elen Linth, e o longa alagoano “Cavalo”, da dupla Rafhael Barbosa e Werner Salles, marcados pela...