O drama da Lituânia, “The Lawyer”, é um conto comovente de pessoas que chegam a um acordo consigo mesmas. Combinando uma fotografia exuberante e comentários sociais pungentes de pano de fundo, o quarto longa de Romas Zabarauskas apresenta essa história de tristeza e amor em um filme certeiro e potente.

Marius (Eimutis Kvoščiauskas) é um advogado corporativo em Vilnius, capital da Lituânia, enfrentando uma crise de meia idade enquanto contempla o vazio de seu estilo de vida privilegiado. Ele anseia por um companheiro, mas acima de tudo, por algo que possa dar sentido à sua vida. Quando seu pai morre, o processo de luto o leva a encontrar Ali (Doğaç Yildiz), um refugiado sírio na Sérvia que ele conheceu através de sessões de sexcam. O encontro leva esses dois homens muito complicados a tentarem a salvação.

A força do roteiro, também escrito por Zabarauskas, é como ele se aventura além das fronteiras desse enredo enganosamente simples para lidar com muitas questões em torno da vida gay na Europa Oriental. O escritor-diretor segue claramente interessado em discutir a homofobia na região, retratando como a comunidade LGBT deseja explorar como o contato com alguém de outra origem pode ser transformador. No entanto, ele também encontra tempo para comentar sobre o tédio da classe alta e a percepção social dos refugiados.

Essa ousadia aparece no retrato complexo de Ali. O personagem é um bissexual ativo que parece não ser gay o suficiente para atender aos critérios para iniciativas especiais de refugiados LGBT. Contra todas as probabilidades, ele sente falta de sua terra natal e se recusa a ser visto como vítima, a tal ponto que esse mesmo desafio acabou moldando suas interações com as pessoas desde que fugiu da Síria.

Por sua parte, Marius cegou-se à inutilidade de sua vida e há o suficiente na opinião de Kvoščiauskas sobre o personagem para sugerir que, em um canto profundo de sua alma, ele não chegou totalmente a um acordo sobre quem ele é. Ao avaliar a situação em um quarto de hotel em Belgrado, os dois homens percebem que a única maneira de seguir em frente é enfrentar todos os aspectos de seus demônios.

Graças ao trabalho do diretor de fotografia Narvydas Naujalis, tudo parece muito polido, com trabalhos de câmera precisos e cores vivas se fundindo em tomadas maravilhosas (o fato de que os dois protagonistas são fáceis para os olhos também não machuca). Muitas vezes confiando na composição para reforçar os temas do filme, seu trabalho aqui dá aos procedimentos um brilho austero. Como seu personagem-título, “The Lawyer” mantém os espectadores adivinhando a totalidade de seu tempo de execução e os faz pensar sobre esse drama muito depois dos créditos.

‘Subsolo’: deliciosa ironia sobre o universo das academias

Lembra quando o presidente Jair Bolsonaro, no meio da pandemia da COVID-19 com mortes superiores a 1000 por dia, resolveu decretar que academias eram atividades essenciais? A surreal decisão parece saída do roteiro de “Subsolo”, animação satírica da dupla Erica...

‘Inabitável’: vamos fugir deste lugar?

‘Brasil 2020, Pouco Antes da Pandemia’.  Não é à toa este letreiro ser a primeira informação a surgir na tela no início de “Inabitável”: durante seus 20 minutos, o curta pernambucano apresenta o retrato de um país marcado pela violência e intolerância religiosa...

‘Por que Você não Chora?’: boa intenção não salva filme péssimo

Sabe aquele ditado popular: ‘de boas intenções, o inferno está cheio’? Pode ser cruel, eu sei, mas, cabe à perfeição para definir o fraquíssimo “Por que Você Não Chora?”. Escolhido como o filme de abertura da mostra competitiva de longas-metragens nacionais do...

‘Receita de Caranguejo’: metáforas sobre o luto

Baseado em memórias de infância da diretora e roteirista Issis Valenzuela, “Receita de Caranguejo”, selecionado para a mostra competitiva de curtas-metragens nacionais do Festival de Gramado 2020, aposta em simbolismos e metáforas com a vida marinha para abordar o...

‘4 Bilhões de Infinitos’: homenagem ao cinema e a esperança de dias melhores

Cordisburgo ficou conhecida nacionalmente por ser a terra natal do escritor Guimarães Rosa. Recentemente, a cidade mineira, distante 96,9km em linha reta de Belo Horizonte, virou cenário de uma pentalogia de outra cria da terra, o diretor Marco Antônio Pereira. Com...

‘Queen & Slim’: Black Lives Matter em estética arrebatadora

Vencedora de dois Grammys pela direção do clipe “We Found Love”, de Rihanna, e o álbum visual “Formation”, de Beyoncé, Melina Matsoukas constrói um road movie pautado em violência, intolerância e reencontros em sua estreia na direção cinematográfica. “Queen &...

‘Memories of My Body’: ode à existência de um corpo em plenitude

Pode soar como uma frase tirada diretamente de um livro de mindfulness (técnica de atenção plena), mas de uma forma ou de outra, a maioria das experiências de uma pessoa é mediada pelo corpo. Conduzido desta forma de maneira poética, “Memories of My Body”,...

‘Invasão Zumbi 2: Península’: terror caça-níquel made in Coreia

Em nenhum outro gênero do cinema se produzem tantas continuações como o terror. Elas são feitas porque é um bom negócio: filmes de terror geralmente são baratos, e há o reconhecimento da marca. Quando é lançado e causa impressão junto ao público, ele vira uma marca, e...

‘Estou Pensando em Acabar Com Tudo’: estilo de Kaufman ao ponto da exaustão

Tem uma expressão que meu colega crítico Ivanildo Pereira cita em seus textos e encaixa perfeitamente para descrever Charlie Kaufman: “verborrágico”. O premiado roteirista e diretor é um artista repleto de personalidade e que apresenta temas recorrentes em suas obras...

‘Narciso em Férias’: a violência brasileira em resposta à poesia

Os 54 dias das prisões de Caetano Veloso e Gilberto Gil, entre dezembro de 1968 a fevereiro de 1969, não apenas simbolizaram o mais claro sinal do endurecimento contra a classe artística e intelectual promovido pela ditadura militar no Brasil após o Ato Institucional...