Marcando mais uma parceria entre Kumail Nanjiani (“Doentes de Amor”) e o diretor Michael Showalter, ‘Um Crime Para Dois’ torna-se mais uma comédia mediana no currículo de ambos. Apesar de Najiani fazer um excelente trabalho ao lado de Issa Rae, a história batida – basicamente copiada de ‘Uma Noite Fora de Série’ – não é suficiente para tornar o filme uma grande comédia, mas sim um bom candidato a guilty pleasure. 

O longa apresenta a crise no relacionamento do casal Leilani (Rae) e Jibran (Nanjiani). Quando ambos decidem seguir caminhos separados, um assassinato os une para solucionar o crime, salvar seus nomes e a relação dos dois. 

Como a trama voltada unicamente em desenvolver o casal protagonista, sem outros personagens relevantes, Leilani e Jibran possuem uma apresentação exemplar. Entre discussões e piadas do casal, conhecemos suas profissões e outras características de forma prática e dinâmica. Afinal, o público invade uma relação que já está acontecendo há anos e fica a par de suas problemáticas facilmente, como se tivesse vivido também todo o desgaste na relação. 

Além do roteiro facilitar esta familiarização com diálogos práticos e um bom alívio cômico, a química entre Issa Era e Nanjiani é o elemento essencial para que isto dê certo. Ambos conseguem dar toda vivacidade para um término de relacionamento e alternar entre esses momentos mais sérios e as piadas. 

Defeitos escondidos 

Falando do humor, este claramente marca presença, apesar de nem sempre pontuar. Existem boas piadas e ótimos momentos criados unicamente para serem aproveitados com este fim – principal exemplo disto é a orgia mascarada como referência a ‘De Olhos Bem Fechados’. Entretanto, como qualquer comédia, ‘Um Crime Para Dois’ perde a mão e exagera alongando algumas piadas que não tinham graça desde seu início. 

Além disso, a motivação para a trama é uma história já conhecida que o roteiro não se dá o trabalho de criar algo novo nem mesmo em seu desfecho. As reviravoltas são previsíveis e só fazem sentido pelo humor envolvido nas situações, ou seja, apesar do filme envolver um mistério sobre o assassinato, sua narrativa não é nada intrigante e fica totalmente omitida pela química do casal. 

No geral, ‘Um Crime Para Dois’ é um ótimo passatempo, um filme curto para ser aproveitado de forma despretensiosa pelo humor prometido. É claro que os inconvenientes e furos na história desanimam, porém, com uma dupla de atores tão competente, sempre pode-se tentar esquecer os problemas na trama. 

‘Shirley’: drama explora toxicidade de relacionamento com show de Elisabeth Moss

Um passeio heterodoxo pelos bastidores do processo criativo, "Shirley" usa o cenário de um filme de época como pano de fundo de um drama cáustico. O longa de Josephine Decker, que estreou no Festival de Sundance e foi exibido no Festival de Londres deste ano, mostra...

‘On The Rocks’: ótima Sessão da Tarde para cults de plantão

Pai e filha se unem para uma dose de espionagem familiar em "On the Rocks", novo filme de Sofia Coppola (“Encontros e Desencontros”, “O Estranho que Nós Amamos”). Depois de estrear no Festival de Nova York no mês passado, o filme agora é lançado mundialmente na Apple...

‘Rose: A Love Story’: terror claustrofóbico ainda que previsível

Um casal que vive no meio do nada coloca seu amor à prova da maneira mais brutal neste horror psicológico britânico. Apesar de suas deficiências narrativas, "Rose: A Love Story" - que teve sua estreia mundial no Festival de Cinema de Londres deste ano - é um...

‘Sibéria’: viagem fascinante pelo nosso abismo interior

Há muitos lugares onde é possível se perder, mas talvez o mais profundo e remoto deles seja dentro de si mesmo. "Sibéria", novo filme de Abel Ferrara que estreou na Berlinale e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é uma viagem lisérgica que pede muito do...

‘Os Sete de Chicago’: drama de tribunal eficiente com elenco fabuloso

“Isso é um julgamento político”. Essa afirmação feita por Abbie Hoffman (Sacha Baran Cohen), e notoriamente ignorada por seus companheiros de defesa nos fornece o tom de “Os Sete de Chicago”, filme de Aaron Sorkin disponível na Netflix. A produção se baseia em um dos...

‘Sertânia’: cinema como luta e resistência às agruras do sertão

Que a idade não é impeditiva para grandes diretores seguirem fazendo trabalhos excelentes a cada ano não é novidade – Manoel de Oliveira e Martin Scorsese, talvez, sejam os casos mais exemplares nos anos 2010. Porém, aos 81 anos, Geraldo Sarno, figura fundamental para...

‘Black Box’: ficção científica lembra episódio esticado de série

Entender como funciona o nosso subconsciente parece ser um daqueles mistérios que nunca acabará, nem mesmo se um dia forem criadas máquinas que leiam o pensamento humano. A arte, de forma geral, tenta ofertar soluções que sanem a nossa curiosidade. No cinema, por...

‘O Reflexo do Lago’: documentário fica pela metade em muitos caminhos

Primeiro filme paraense a ser exibido no Festival de Berlim, “O Reflexo do Lago” tateia por diversos caminhos da Amazônia e do documentário ora acertando em cheio pela força das suas imagens ora tropeçando nas próprias pernas pelas pretensões colocadas para si. Nada...

‘Mães de Verdade’: os tabus da honra e da adoção em belo filme

Destaque da programação da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2020, “Mães de Verdade” é o novo filme da prolífica diretora japonesa Naomi Kawase (“Esplendor”, “O Sabor da Vida”). A produção bebe da fonte do melodrama para contar uma história de honra e...

‘Cabeça de Nêgo’: candidato forte a filme do ano do cinema brasileiro

Inspirado no movimento de ocupação de escolas ocorrido em São Paulo no ano de 2015, “Cabeça de Nêgo” é um manifesto de rebeldia ao racismo, anti-sistema e contra a precariedade da educação pública brasileira. Faz isso aliando um discurso social engajado, altamente...