O diretor Alan Taylor fez seu nome na televisão, onde comandou episódios de alguns dos seriados mais aclamados dos últimos anos, como “Deadwood”, “Família Soprano”, “Lost”, “Mad Men” e “Game of Thrones”. Em entrevista de divulgação do seu segundo longa-metragem para o cinema, a mega-produção “O Exterminador do Futuro: Gênesis”, Taylor acabou falando um pouco sobre o seu primeiro filme, a aventura de super-herói do Marvel Studios, “Thor: O Mundo Sombrio”, lançada em 2013. Taylor lançou algumas alfinetadas bem diretas ao falar sobre o estúdio dos heróis e ressaltou que “Thor” e “Exterminador” acabaram sendo experiências bem diferentes.

“Não sou bom em esconder coisas como essa”, disse Taylor numa entrevista de promoção de “Exterminador”. “Já fiz duas superproduções e aprendi que não se faz um filme de 170 milhões de dólares com o dinheiro dos outros sem ter que colaborar com muitas pessoas. Minha experiência com a Marvel foi particularmente desgastante porque me deram liberdade completa enquanto estava filmando, e depois na pós-produção o filme se transformou em algo diferente. É uma coisa que espero nunca repetir e nem desejo para ninguém”.

Já ao falar sobre a experiência de comandar o novo capítulo da franquia “Exterminador do Futuro”, Taylor afirmou: “Este filme não foi como o outro. A história que tínhamos para contar no começo foi a mesma que completamos ao final do processo e é ela que estamos trazendo ao mundo. Mas aqui houve muita colaboração, como se espera quando se faz algo tão grande”.

Parece que havia veracidade nos boatos que circularam perto da estreia de “Thor: O Mundo Sombrio”, sobre os desentendimentos entre o diretor e o estúdio e o fato de Taylor ter não ter podido acompanhar a montagem final do longa. E parece ser seguro afirmar que Taylor não estará na lista de diretores da Marvel para comandar a terceira aventura do herói, “Thor: Ragnarok”… Já “O Exterminador do Futuro: Gênesis” estreia no Brasil nesta quinta, dia 2 de julho.

Facebook Comments