A arrecadação total de US$ 571 milhões nas bilheterias não convencem Sam Taylor-Johnson de que tenha valido a pena dirigir “Cinquenta Tons de Cinza”. Brigada com a autora do livro, a escritora E.L James, a cineasta revelou que se arrepende de ter aceitado comandar o longa de 2015. As informações são do site Indiewire.

“Com o benefício de voltar no passado, eu passaria por isso novamente? Claro que não!”, declarou Johnson sobre a experiência de comandar o sucesso estrelado por Dakota Johnson e Jamie Dornan. “Teria ficado louca em fazer de novo. Foi uma luta cheia de disputas internas para que eu conseguisse colocar as coisas no lugar. Gosto de todos e fico muito confusa quando não gostam de mim. Fiquei muito confusa com a E.L James. Não entendo quando não posso dialogar com a outra pessoa, quando não há sinergia”, afirmou a diretora sobre o atrito com a escritora do best-seller.

Sam Taylor-Johnson não voltou para a continuação lançada neste, sendo substituída por James Foley. Ele mesmo está à frente do terceiro filme da franquia previsto para estrear nos cinemas mundiais em 2018.

Facebook Comments