“A Estrada 47” ganhou o prêmio de Melhor Filme do 24º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema de Fortaleza. Filme dirigido por Vicente Ferraz e estrelado por Daniel de Oliveira mostra um grupo de soldados brasileiros durante a Segunda Guerra Mundial com o objetivo de desarmar um perigoso campo minado em solo italiano. Produção já havia conquistado prêmios no Festival do Rio (Melhor Montagem e menção honrosa para o ator Francisco Gaspar) e Festival de Gramado (Melhor Filme).

Cerimônia de encerramento realizada na noite de sábado (22) premiou Sebastián Aguirre como Melhor Ator pelo filme “Obediência Perfeita” e Loreto Arabena como Melhor Atriz em “No Soy Lorena”. Dirigido por Carolina Markowicz e Fernanda Salloum, “Edifício Tatuapé Mahal” ganhou como Melhor Curta-Metragem, enquanto “Joaquim Bralhador” foi eleita a melhor produção do Ceará.

Neste ano, o Cine Ceará homenageou o cinema da Argentina com destaque para o diretor Daniel Burman, responsável por sucessos como “Ninho Vazio”, “O Abraço Partido” e “As Leis de Família”.

VEJA A LISTA DE VENCEDORES DO CINE CEARÁ 2014:

LONGAS-METRAGEN JÚRI OFICIAL
MELHOR LONGA-METRAGEM: A Estrada 47 (Brasil)
MELHOR DIREÇÃO: Luiz Urquiza, por Obediência Perfeita (México)
MELHOR ROTEIRO: Alfonso Zarauza e Jaione Caborda, por Os Fenômenos (Espanha)
MELHOR ATRIZ: Loreto Arabena, por No Soy Lorena (Chile)
MELHOR ATOR: Sebastián Aguirre, por Obediência Perfeita (México)
MELHOR FOTOGRAFIA: Alberto Diaz, por Os Fenômenos (Espanha)
MELHOR EDIÇÃO: Luisa Marques, por A Vida Privada dos Hipopótamos (Brasil)
MELHOR DIREÇÃO DE ARTE: Sergio Tribastone, por A Estrada 47 (Brasil)
MELHOR SOM: Alejandro Delcaga e Diego Gat, por Dólares de Areia (República Dominicana)
MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL: Piti Sanz e Anxo Graña, por Os Fenómenos (Espanha)

CURTAS-METRAGENS JÚRI OFICIAL
MELHOR CURTA METRAGEM: Edifício Tatuapé Mahal, de Carolina Markowicz e Fernanda Salloum;
MELHOR DIREÇÃO: Rodrigo Luna e Pedro Perazzo, por Menino da Gamboa;
MENÇÃO HONROSA: Joaquim Bralhador (firmeza na condução da história) e Guida (dúvida e na insegurança na construção de um filme de grande beleza plástica)
MELHOR ROTEIRO: Marina Não Vai à Praia, de Cássio Pereira dos Santos;
MELHOR PRODUÇÃO CEARENSE: Joaquim Bralhador, de Marcio Câmara

PRÊMIO DA CRÍTICA
MELHOR LONGA: A Vida Privada dos Hipopótamos (Brasil)
MELHOR CURTA: História Natural (Pernambuco)

PRÊMIO CANAL BRASIL AO MELHOR CURTA
Marina Não Vai à Praia (Minas Gerais)

Facebook Comments