Começa no dia 5, terça-feira, às 20h, a programação de cinema de junho, do Itaú Cultural, que apresenta ao público uma mostra de filmes latino americanos, em parceria com a Universidad del Cine de Buenos Aires, uma das mais importantes instituições de formação de cinema do mundo. Ao longo do mês, serão exibidos três longas-metragens e sete curtas-metragens de países diversos, entre eles, Argentina, Uruguai e Bolívia.  A produção que abre o ciclo no dia 5 é boliviana: Viejo Calavera, do diretor Kiro Russo

No enredo, Elder Mamaní, interpretado pelo ator Julio Cezar Ticona, fica órfão e se muda para Huanuni, para viver com a avó e o seu padrinho lhe arranja um emprego na mina de um poderoso homem do local. Contudo, Mamaní prefere vaguear, embriagado, pela cidade. Este comportamento coloca-o em rota de colisão com a vida, quando um segredo sobre a morte de seu pai vem à tona. Viejo Calavera é o primeiro longa-metragem de Kiro Russo, que venceu duas vezes o grande prémio de curta metragem no IndieLisboa, com o filme Juku e Nueva Vida, em 2012 e 2016.

O filme que dá sequência a este ciclo de junho, no dia 12, às 19h, é Mi Amiga del Parque, produção argentino-uruguaia da diretora Ana Katz. O longa-metragem fala da relação entre as personagens Liz, e Rosa, abordando os lados público e privado da maternidade, bem como as inseguranças e exaltações de uma amizade entre duas mulheres. A produção ganhou o Prêmio Especial do Júri, de Sundance, em 2016.

Os outros filmes que integram a programação nas terças-feiras seguintes, dias 19 e 26, são o Cuatreros, longa-metragem realizado em 2016 pela diretora argentina Albertina Carri; e os curtas: Silêncio Antes, de 2015, com co-produção da Argentina e Colômbia e direção de Mercedes Gaviria; Son do também argentino Alejo Santos, de 2016. Além desses, entrarão em cartaz El Chico Pelo De Flor, realização de 2016 por  Vanessa Heeger; El Passado Roto (2015), de Sebastián Schjaer e Martín Morgenfeld; Epecuén (2012), de Verena Kuri e Sofia Brockenshire; Enfrentar Animales Salvajes (2014), de Jerónimo Quevedo; Dear Renzo (2016), de Francisco Lezama e Agostina Gálvez.

De 6 a 8 de junho, o instituto realiza, ainda, dando sequência a parceria com a Universidad del Cine, a oficina de roteiro Portas de entrada alternativas à escrita cinematográfica, com o cineasta argentino Agustín Mendilaharzu. No minicurso, ele propõe questionar a maneira de se construir o script tradicional para filmes, apresentando a possibilidade de uma escrita que parte do concreto e encontra em seu desenvolvimento profundo as chaves para moldar um plano narrativo complexo.

A mostra latino-americana de cinema e o curso fazem parte da programação de cinema do instituto, que desde o início do ano vem abrindo espaço para as várias possibilidades de criação e produção audiovisual. Assim, com recorte curatorial mensal, o Itaú Cultural oferece mostras presenciais e online de filmes, parcerias com festivais nacionais, cursos de formação, ciclos de animação, terror, etnografia, documentários, entre outros gêneros.

com informações de assessoria

Facebook Comments