Antes de ser a mãe dos dragões em “Game of Thrones”, Emilia Clarke passeou pela ficção científica ao interpretar a icônica Sarah Connor em “O Exterminador do Futuro: Genêsis”, em 2015. A experiência, porém, não deixou saudades na atriz que admitiu alívio por não precisar voltar ao universo da franquia. As informações são do site Indiewire.

Segundo Clarke, a pressão intensa sobre o diretor Alan Taylor prejudicou demais o trabalho. “O estúdio fez muita pressão. Alan […] foi mastigado e cuspido por eles. Ele não era o diretor de quem eu me lembrava. Ele não teve um bom momento [com o filme]. Ninguém teve”, disse, recordando o fato do cineasta ter comandado sete episódios da série da HBO. Para completar, a atriz revelou que o clima era tão pesado que a equipe de “O Quarteto Fantástico”, que rodava o filme em um estúdio ao lado, fez jaquetas com dizeres “Ao menos não estamos em “O Exterminado do Futuro: Gênesis”.

O filme de 2015 se passa em 2029 e mostra John Connor liderando a resistência na guerra contra as máquinas. O medo de John em relação ao seu destino desconhecido fica mais forte quando espiões revelam um novo plano da SkyNet que vai atacar seu passado e seu futuro, mudando o conflito para sempre. Arnold Schwarzenegger, J.K Simmons, Jason Clarke e Jai Courtney também integravam o elenco do longa. “O Exterminado do Futuro: Gênesis” arrecadou US$ 440,603,537 nas bilheterias mundiais.

Facebook Comments