O protesto de representantes da extrema direita dos EUA realizado neste sábado (12) no Estado da Virgínia foi alvo de críticas de grandes estrelas de Hollywood. Nomes como Seth Rogen, Ava DuVernay, Beau Willimon e a escritora da série “Harry Potter”, J.K Rowling se posicionaram contra o ato coordenado por supremacistas brancos. As informações são do site da Variety.

Com o trecho do documentário “A 13a Emenda”, Ava DuVernay postou: “A verdade é que: estamos vivendo estes tempos. E estamos tolerando isso”.

J.K Rowling atacou a falta de posicionamento de Donald Trump sobre o ato: Inferno de dia para o Presidente esquecer como fazer um tweet”. Já o comediante Seth Rogen criticou sem papas na língua: “A propósito, fodam-se esses nazistas filhos da puta”.

Entenda o caso

O governador do estado norte-americano da Virginia, Terry McAuliffe, decretou estado de emergência por causa dos confrontos entre ultranacionalistas de maioria branca e grupos antifascistas na cidade de Charlosttesville. Com protestos realizados nessa sexta-feira (11) e novos protestos no sábado (12) de manhã o chamado União da Direita entrou em confrontos com grupos antifascistas. Tropas policiais de choque foram usadas para tentar conter os ataques entre os grupos opostos.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também condenou a violência dos manifestantes. No Twitter, ele escreveu: “Todos nós devemos estar unidos e condenar tudo o que representa o ódio. Não há lugar para esse tipo de violência na América. Vamos juntos como um!”.

O enfrentamento começou durante protestos de ontem, liderados pelo grupo União de Direita. Centenas de homens e mulheres participam das manifestações contra uma decisão da prefeitura de remover uma estátua do general  confederado Robert E. Lee, um dos símbolos do movimento separatista dos Confederados.

Durante a Guerra Civil americana, entre 1861 e 1865, a Região Sul dos Estados Unidos, que reunia estados sulistas contrários a abolição da escravatura, tentaram a independência. Mesmo derrotado na Guerra da Secessão, alguns estados do Sul como a Virgínia, Norte Carolina e Sul Carolina, bem como Alabama e Georgia têm até hoje defensores dos confederados que aglutinam extremistas direita.

Os manifestantes que marcharam pela supremacia branca e contra a remoção da estátua, gritaram saudações nazistas e palavras de ordem contra negros, imigrantes, homossexuais e judeus.

Nos protestos que ocorreram à noite foram usadas tochas e alguns manifestantes cobriram o rosto. As tochas são um dos símbolos do KKK, Ku Klux Klan, um grupo formado depois da guerra civil americana por soldados das tropas confederadas.  O KKK foi um dos grupos que se levantaram contra o movimento pelos direitos civis liderados pelos negros americanos, no Sul dos Estados Unidos.

com informações da Agência Brasil

Facebook Comments