Desde a polêmica do #OscarSoWhite, o debate sobre maior participação feminina e negra no cinema americano ganhou força. Um novo estudo publicado pela Creative Artists Agency (CCA) reforça a tese de que Hollywood precisa se abrir para a maior diversidade nos elenco. E a pesquisa puxa por um ponto que muito interessa os estúdios:  o dinheiro. As informações são do site Indiewire.

Segundo a pesquisa, a média de bilheteria alcançada por um filme na semana de lançamento junto a variados tipos de público é maior quando o elenco destas produções são mais diversos, ou seja, incluindo mulheres, negros, latinos e/ou asiáticos em papéis de destaque. Os valores chegam a ser três vezes maiores do que longas sem 30% de personagens vindos de minoria.

São os casos, por exemplo, de “Corra!”, “Estrelas Além do Tempo”, “Rogue One – Uma História Star Wars” e “Velozes e Furiosos 8”. Foram analisadas 413 produções lançadas entre 2014 e 2016. Para o presidente da CCA, Richard Lovett, o estudo pode mostrar caminhos para Hollywood ampliar a escalação de elencos mais diversos em futuras produções.

Facebook Comments