Com a proposta de valorizar o debate de questões nacionais, como habitação, especulação imobiliária, imigração nos grandes centros urbanos, entre outras, o IV Festival de Finos Filmes anuncia que,  dos mais de 200 realizadores brasileiros que inscreveram os seus curtas-metragens, 16 participarão da seleção oficial do evento. O festival será realizado de 6 a 16 de maio e ocupará as salas do Museu da Imagem e do Som, FAAP, Matilha Cultural e Caixa Belas Artes. A abertura oficial será no dia 4 de maio, no Cine Caixa Belas Artes, em S. Paulo.

Os selecionados são os seguintes: A Moça que Dançou com o Diabo, de João Paulo Miranda Maria (SP); Balada para os Mortos, de Lucas Sá (RS); Córrego Grande, 13, de Carol Covre (ES); Estado Itinerante, de Ana Carolina Soares (MG); Fotograma, Luís Henrique Leal e Caio Zatti (PE); Iluminadas, Gabi Saegesser (PE); Lúcida, de Fábio Rodrigo (SP); Maria Cachoeira, de Pedro Carcereri (MG); Melhor Fase da Vida, de Rodrigo Lavorato (SP); Não me Prometa Nada, de Eva Randolph (RJ); Noite Púrpura, de Caroline Biagi (PR); O Delírio é a Redenção do Aflitos, de Fellipe Fernandes (PE); O Estacionamento, de William Biagioli (PR); Obra Autorizada, Iago Cordeiro Ribeiro (BA); Postergados, de Carolina Markowicz (SP); Restos, de Renato Gaiarsa (BA).

Além do enfoque nacional, o IV Festival de Finos Filmes trará, em parceria com a Agência da Curta-Metragem, entidade portuguesa, um Panorama do Cinema de Portugal, país cuja produção recente tem conquistado – todos os anos – espaço em grandes festivais, como Cannes e Berlim. As obras da produtora Terratreme, empresa de catálogo multi-premiado, também ganharão sessão especial. “Precisamos pensar em novos modelos de produção e distribuição de curtas-metragens. Algumas experiências portugueses tem sido valiosas nesse sentido e, sem dúvida, podem servir de inspiração”, completa Felipe Arrojo Poroger, diretor da mostra.

Facebook Comments