Dylan Farrow, a filha adotiva de Woody Allen e Mia Farrow, que revelou ter sido assediada sexualmente por seu pai quando tinha sete anos em carta divulgada em 2014, voltou a fazer a afirmação em sua primeira entrevista após expor os fatos.

Em entrevista ao programa “CBS This morning” que irá ao ar na quinta-feira (amanhã), a jovem, que agora tem 32 anos, afirma dizer a verdade.

“Estou dizendo a verdade e acho importante que as pessoas percebam que uma vítima, uma acusadora, importa. E que são suficientes para mudar as coisas”, disse.

Quase quatro anos depois de publicar uma carta aberta no jornal “The New York Times” na qual relatava os abusos sofridos por seu pai, Dylan se uniu ao movimento nos Estados Unidos para revelar os assédios, que começou com as acusações contra o produtor Harvey Weinstein.

Nas últimas semanas, Dylan esteve muito ativa em sua conta do Twitter, desde que mostrou seu apoio às mulheres que denunciaram casos de assédio e também a seu irmão Ronan, um dos responsáveis por revelar este escândalo sexual com investigações para a revista “The New Yorker”.

Na entrevista, Dylan deixa claro seu desejo de responsabilizar Woody Allen pelos atos.

“Por que não deveria querer derrubá-lo? Por que não deveria estar irritada? Por que não deveria estar ferida? Por que não deveria sentir uma espécie de indignação por ter sido, ignorada e por não ter me encontrado por todos estes anos?”, disse.

“Tudo o que posso fazer – acrescentou – é contar a minha verdade e esperar que alguém acredite em mim ao invés de só me escutar”.

A acusação de Dylan Farrow contra seu pai foi revelada originalmente em 1992, em meio à tumultuada separação do ator e diretor e de sua então mulher, Mia Farrow, que ganhou nos tribunais a guarda dos filhos.

Allen, que então tinha mais de 50 anos, havia iniciado nessa mesma época uma relação com outra filha adotiva de Farrow, Soon-Yi Previn, que tinha 19 anos e com quem finalmente se casou em 1997.

Em 2014, a Dylan Farrow enviou uma carta ao “The New York Times” na qual contava como o produtor tinha abusado dela, mas os fatos já tinham prescrito legalmente.

Essas acusações foram negadas por Woody Allen, que sempre negou ter abusado de sua filha, adotada pelo cineasta durante a relação com Mia Farrow.

da Agência EFE

Facebook Comments