O cinema brasileiro foi o grande consagrado do festival FESTin, em Lisboa, dedicado à produção em língua portuguesa, e venceu em todas as principais categorias, com destaque para a de melhor filme, que foi para “Redemoinho”, do mineiro José Luiz Villamarim.

O longa, baseado no livro “O Mundo Inimigo – Inferno Provisório – Vol. II”, aborda a história de dois amigos que se reencontram depois de anos e narra em retrospectiva as suas experiências do passado. A vitória foi dupla, e o diretor também levou o prêmio como o melhor na sua categoria.

As premiações de melhor atriz e melhor ator também foram para o Brasil. A vencedora na categoria feminina foi a mineira Grace Passô, pela atuação em “Praça Paris”. Já o paulistano Marat Descartes venceu pelo papel que faz em “Mulher do Pai”, que também levou menção honrosa em longas-metragens.

O melhor filme do Júri da Crítica foi para “Açúcar”, do casal pernambucano Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira. Já o público escolheu “Como Nossos Pais”, da diretora paulistana Laís Bodanzky. Na categoria documentário o ganhador foi “Saudade”, do paraibano Paulo Caldas.

O prêmio de melhor curta-metragem foi para a coprodução Brasil/Portugal “A Gis”, do paulistano Thiago Carvalhaes, e o melhor curta-metragem do júri popular foi para “Hospital da memória”, do paulista Pedro Paula de Andrade.

Na categoria melhor filme do júri popular, o Brasil também foi campeão com “Como surgiram as estrelas”, dos paulistas Renato Barbieri e Adriana Meirelles.

As premiações de menção honrosa de curta-metragem, por sua vez, foram para “África na Europa”, de Jacinto João António Mango (Atcho Express), de Guiné-Bissau, e para “Carga” do português Luis Campos. “Serviçais das memórias à identidade”, do diretor Nilton Medeiros, de São Tomé e Príncipe, recebeu menção honrosa de documentário e o prêmio de melhor documentário do júri popular.

A 9ª edição do FESTin, aconteceu de 27 de fevereiro a 6 de março em Lisboa, e contou com mais de 60 filmes. O Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa reúne anualmente os maiores destaques da produção cinematográfica de Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé Príncipe e Timor Leste.

da Agência EFE

Facebook Comments