“Lady Bird – A Hora de Voar” cumpriu o favoritismo e não deu chance para a surpresa de “Corra!” em ganhar na categoria de Melhor Filme de Comédia/Musical. Este foi o segundo prêmio da produção no Globo de Ouro 2018 após a vitória de Saoirse Ronan em Melhor Atriz de Comédia/Musical.

O filme acompanha a história de Christine McPherson (Saoirse Ronan) que está no último ano do ensino médio e o que mais deseja é ir fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia, ideia firmemente rejeitada por sua mãe (Laurie Metcalf). Lady Bird, como a garota de forte personalidade exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto sua hora não chega, no entanto, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com a progenitora.

“Lady Bird” chega ao Brasil no dia 15 de fevereiro.

OPINIÃO E PANORAMA PARA O OSCAR

Há muito lobby do público e da crítica para que “Lady Bird” chegue forte no Oscar até com chances de ganhar. Mas, sinceramente, não vejo que isso possa se tornar realidade.

Recordo do caso de “Boyhood”: o filme de Richard Linklater vinha forte junto com os críticos e levou o Globo de Ouro. Porém, chegou os sindicatos e tudo se desmanchou com “Birdman” assumindo o favoritismo absoluto.

Infelizmente, o Oscar ainda é uma premiação de grandes produções com grandes elencos e orçamentos idem. “Moonlight – Sob a Luz do Luar” pode ser considerado um ponto fora da curva.

A favor de “Lady Bird”, há o fato de ser um filme com uma força feminina forte graças a Greta Gerwig, Saoirse Ronan e Laurie Metcalf. Quem sabe este maior olhar para as mulheres na temporada de premiações ajude o filme. Seria uma demonstração de que a Academia de Hollywood está, de fato, mudando.

Facebook Comments