Sabe aquele aviso em propagandas de cerveja: ‘consuma com moderação’?

O Globo de Ouro poderia ver com o mesmo alerta em relação à temporada de premiações. Tudo o que acontece no evento promovido pela Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood precisa ser relativizado, afinal de contas, é uma das festa mais jabazeiras do cinema.

Mesmo assim, por se tratar da primeira grande premiação da awards season todo mundo acompanha até mesmo para poder falar mal antes, durante e depois da cerimônia. As indicações ocorridas nesta quinta-feira, 6 de dezembro, trouxeram as tradicionais surpresas e esnobadas analisadas agora aqui no Cine Set:

ESNOBADOS

O Primeiro Homem” fora das categorias principais

As indicações a Melhor Trilha Sonora e Atriz Coadjuvante para Claire Foy davam o sinal de que “O Primeiro Homem” teria forte representação na festa. Mas, ficou por isso mesmo e a superprodução sobre Neil Armstrong não conseguiu nomeações para Damien Chazelle, Ryan Gosling e nem mesmo para Melhor Filme em Drama. O baixo desempenho nas bilheterias e as críticas pouco animadoras podem pesar contra o filme na corrida pelo Oscar 2019.


“As Viúvas” e “Duas Rainhas” sem indicações

O Globo de Ouro parece não se preocupar tanto com o movimento #MeToo. Depois de excluir Greta Gerwig da lista de Melhor Direção na edição do ano passado, o evento deixou sem indicações duas produções com protagonistas feministas fortes e com grandes atrizes. Nem Viola Davis em “As Viúvas” nem Saoirse Ronan e Margot Robbie ambas por “Duas Rainhas” convenceram os jornalistas estrangeiros de Hollywood e ficaram fora da festa.

Barry Jenkins e Yorgos Lanthimos fora de Melhor Direção

“Se Rua Beale Falasse” conseguiu indicações importantes em três categorias, incluindo, Melhor Filme em Drama e Roteiro, mas, o gosto ficou agridoce com a exclusão de Barry Jenkins, não repetindo o feito obtido por “Moonlight“. Já “A Favorita” tem tudo para dominar as categorias de comédia/musical com vitórias em Melhor Filme e Atriz com Olivia Colman. Faltou, entretanto, a nomeação do Yorgos Lanthimos, o que faria o longa dividir com “Vice” o topo das produções mais indicadas.

Yalitzia Aparicio e Ethan Hawke

Aqui, o Globo de Ouro mostrou como é uma festa disposta a celebrar as grandes estrelas de Hollywood muito mais do que quem fez realmente grandes trabalhos. A mexicana Yalitzia Aparicio, de “Roma”, não resistiu à força de nomes como Nicole Kidman, Melissa McCarthy e Rosamund Pike, sendo excluídas da lista das atrizes em drama. Apesar de mais conhecido e aclamado por “No Coração da Escuridão“, Ethan Hawke perdeu vez Rami Malek do popular “Bohemian Rhapdsody” e Lucas Hedges, de “Boy Erased”.


Sam Elliott e Michael B. Jordan

A exclusão de Sam Elliott da categoria de Melhor Ator Coadjuvante é surpreendente: o intérprete rouba a cena nos poucos momentos em que aparece em “Nasce uma Estrela” a ponto de ser considerado um candidato forte ao prêmio no Oscar. O Globo de Ouro, entretanto, não quis saber dele e ficou por Adam Driver, de “Infiltrado na Klan”. Já Michael B. Jordan tinha poucas chances, é verdade, mas, seria uma atitude ousada da HFPA de indicar um ator vindo de um longa baseado em HQs.

SURPRESAS

Podres de Rico

A categoria comédia/musical sempre reserva uma surpresa para agradar o coração do público e, claro, os executivos dos grandes estúdios de Hollywood. “Podres de Rico” se junta a “Descompensada”, “A Espiã que Sabia de Menos”, “Amor Impossível”, “Burlesque” e “O Turista” nas indicações em que você fica se perguntando: ‘WTF?’!


Lucas Hedges

Mesmo o Globo de Ouro não sendo tão significativo na temporada de premiações quanto o SAG, Lucas Hedges conseguiu uma pequena vantagem para obter a quinta vaga ao Oscar de Melhor Ator. Fica a dúvida se o ator vai conseguir superar a repercussão abaixo da esperada de “Boy Erased” e também se a Academia de Hollywood não vai se render Rami Malek com a popularidade de “Bohemian Rhapsody” ou uma possível homenagem a Robert Redford por “The Old Man & The Gun” ou se Ethan Hawke se recupera até janeiro.


Peter Farrelly

O diretor de “Quem Vai Ficar com Mary?”, “Debi & Loíde” e “Eu, Eu Mesmo e Irene” ganhou a confiança de Hollywood com “Green Book”. Peter Farrelly superou pesos-pesados como Barry Jenkins, Yorgos Lanthimos, Damien Chazelle e Ryan Coogler. Com força de “Green Book” (candidato forte ao Oscar), as chances dele ser indicado ao prêmio da Academia é altíssima.

Charlize Theron

Muito bom ver Charlize Theron indicada por este subestimado trabalho de Jason Reitman. “Tully” é uma das obras mais comoventes e importantes do cinema mundial em 2018 e traz a melhor atuação da carreira da atriz (sorry fãs de “Monster”). Acredito que se o filme tivesse sido lançado agora, as chances da atriz no Oscar seriam bem maiores.


“Nunca Deixe de Lembrar” supera “Guerra Fria”

A Alemanha superou a Polônia no Globo de Ouro 2018. Quando todos esperavam ver “Guerra Fria“, de Pawel Pawlikowski, os jornalistas estrangeiros de Hollywood anunciaram “Nunca Deixe de Lembrar”. Vale lembrar que, no ano passado, dos cinco indicados ao prêmio, apenas três participaram do Oscar, incluindo, o vencedor chileno “Uma Mulher Fantástica”.

Facebook Comments