Todo dia um podre de Harvey Weinstein é revelado. Desta vez, a vítima foi nada menos que o ganhador do Oscar Peter Jackson. O escritor Ian Nathan revela em novo livro, “Anything You Can Imagine: Peter Jackson & The Making of Middle-Earth” que o cineasta neozelandês foi ameaçado de demissão pelo produtor na trilogia “O Senhor dos Anéis”. Para piorar, ele ainda teria um eleito para substituir o diretor: o amigo Quentin Tarantino. As informações são do site The Playlist.

O motivo da irritação de Weinstein era o desejo dele em Peter Jackson condensar toda a trama de J.R.R Tolkien em apenas um filme em vez de três. Entre os principais cortes que o dono da Miramax pretendia era retirar todas as sequências em Bri e a batalha do Abismo de Helm, sendo este o ápice de “As Duas Torres”. As mudanças ainda iriam mexer nas relações dos personagens: Éowyin (Miranda Otto) seria irmã de Boromir (Sean Bean) e Saruman (Christopher Lee) seria uma ameaça maior que é.

“Estava certo que iria desapontar cada pessoa que leu o livro”, declarou Jackson para o livro. No fim das contas, o diretor e a equipe dele desistiram do acordo com a Miramax, acertaram com a New Line e ganharam 17 Oscars, incluindo Melhor Filme e Direção com “O Retorno do Rei”.

Facebook Comments