O chefe criativo da Pixar e dos estúdios de animação da Disney, John Lasseter, vai deixar oficialmente seu cargo nas empresas, segundo a própria Disney anunciou nesta sexta-feira (8).

O executivo e cineasta já estava afastado de suas funções desde 2017, quando foi acusado de assédio sexual.

Uma reportagem da revista “The Hollywood Reporter” dizia que Lasseter era conhecido por “agarrar, beijar e fazer comentários sobre aparência física”.

Lasseter manterá um papel como consultor da Disney até o final de 2018, quando se desligará totalmente da empresa. Um substituto não foi anunciado.

Co-fundador da Pixar, ele se tornou o diretor de animação da Disney em 2006, quando a empresa comprou o estúdio de animação. Como diretor, foi responsável por sucessos como “Toy Story” (1995), “Vida de inseto” (1998) e “Carros” (2006).

Conversas dolorosas

Em memorando interno enviado por ele em novembro, Lasseter não falava sobre assédios, mas dizia que teve “conversas dolorosas” e que “nunca é fácil encarar seus erros”. “Fiquei sabendo que fiz com que alguns de vocês se sentissem desrespeitados e desconfortáveis. Essa nunca foi a minha intenção”, afirmava.

“Espero que um período sabático de seis meses me dê a oportunidade de começar a me cuida melhor, a me recarregar e me inspirar, e no fim retornar com a visão e a perspectiva que preciso para ser o líder que vocês merecem.”

do site G1

Facebook Comments