Johnny Depp é o grande nome desta sexta-feira no Festival de Veneza, com a exibição do filme “Aliança do Crime” (“Black Mass”), do diretor Scott Cooper, inspirado na história do temido criminoso irlandês radicado nos Estados Unidos James “Whitey” Bulger.

Recebido por milhares de fãs, o ator americano, de 52 anos, demonstrou muita simpatia ao falar de “Black Mass”.

Para o longa-metragem, uma estreia mundial exibida fora de competição, Deep se transformou em um bandido calvo e enrugado, um papel que segundo muitos críticos pode render um Oscar.

Ele começou a entrevista coletiva com uma piada que admitiu não ser muito boa.

“É sem álcool”, disse, depois de beber uma garrafa de água. “Estou sendo responsável. Caso me caluniem, a culpa é de vocês”.

Completamente transformado para o papel de criminoso, Depp aparece em quase todas as cenas do filme de Cooper.

A cinebiografia de um dos mais perigosos grupos criminosos dos Estados Unidos pode ser considerada um filme sobre a amizade, pois essencialmente narra a relação entre Bulger e John Connolly, seu amigo desde a infância em um bairro pobre do sul de Boston, dominado pelos irlandeses, que se tornou um agente do FBI.

Connolly convence os chefes que pode acabar com a máfia italiana da cidade se Bulger receber proteção para obter informações e provas. O pacto tem sucesso inicialmente e a carreira de Connolly avança, enquanto paralelamente Bulger desenvolve um império que vai de jogos ilícitos e extorsões até o tráfico de drogas.

Mas quando fica evidente que Connolly não controla o suposto informante, a queda de Bulger passa a ser uma questão de tempo.

O filme termina com a detenção de Connolly, enquanto Bulger se transforma em um fugitivo em 1994 e escapa da prisão por 17 anos.

da Agência France Press

Facebook Comments