A polêmica em relação a “O Mecanismo” continua sendo o assunto no mundo cinematográfico e político. Em discurso realizado na noite de quarta-feira (29) na cidade de Curitiba, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva afirmou que pretende processar a Netflix. O motivo seria a utilização da polêmica frase ‘é preciso estancar a sangria’ relacionado ao personagem que seria inspirado no petista. As informações são do site O Globo.

LEIA A CRÍTICA DO CINE SET SOBRE “O MECANISMO”

“Vamos processar a Netflix. Eles colocam na minha boca coisa da boca de outros”, declarou Lula. A tal frase está contida no quinto episódio de “O Mecanismo” quando o ex-presidente João Higino (Arthur Kohl) fala que é preciso estancar a sangria aberta pela Operação Lava-Jato. No mundo real, o autor da expressão foi o senador de Roraima, Romero Jucá (MDB), em uma gravação telefônica.

No último domingo, a ex-presidente Dilma Rousseff também se posicionou contra “O Mecanismo”. “A série “O Mecanismo”, na Netflix, é mentirosa e dissimulada. O diretor inventa fatos. Não reproduz “fake news”. Ele próprio tornou-se um criador de notícias falsas. (…). A má fé do cineasta é gritante, ao ponto de cometer outra fantasia: a de que eu seria próxima de Paulo Roberto da Costa. Isso não é verdade. Eu nunca tive qualquer tipo de amizade com Paulo Roberto, exonerado da Petrobras no meu governo. Na série de TV, o cineasta ainda tem o desplante de usar as célebres palavras do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre “estancar a sangria”, na época do impeachment fraudulento, num esforço para evitar que as investigações chegassem até aos golpistas. Juca confessava ali o desejo de “um grande acordo nacional”. O estarrecedor é que o cineasta atribui tais declarações ao personagem que encarna o presidente Lula”.

Foto: Ricardo Stuckert

Facebook Comments