Faleceu nesta segunda 29 de agosto o ator e cineasta americano Gene Wilder, um dos grandes nomes da comédia em Hollywood durante os anos 1970 e 1980. Wilder tinha 83 anos e faleceu em casa, no estado americano de Connecticut. Seu sobrinho informou que o ator morreu devido a complicações decorrentes do mal de Alzheimer.

Nascido Jerome Silberman, o futuro comediante começou a estudar atuação aos 12 anos. Destacou-se no teatro durante a década de 1960, e no cinema chamou a atenção logo num dos seus primeiros trabalhos, como um agente funerário no impactante Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas (1967). Mais tarde, sua parceria com o comediante e cineasta Mel Brooks entrou para a história do cinema: ambos fizeram juntos os sucessos Primavera para Hitler (1967), pelo qual Wilder foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, e Banzé no Oeste (1974) e O Jovem Frankenstein (1974).

Outros filmes famosos de Wilder nos anos 1970 foram o clássico infantil A Fantástica Fábrica de Chocolate (1971), no qual viveu o icônico Willy Wonka, e Tudo que Você Queria Saber Sobre Sexo… Mas Tinha Medo de Perguntar (1972), no qual o ator foi dirigido por Woody Allen e vivia um homem apaixonado por um ovelha. Além disso, Wilder estabeleceu nas telas uma parceria com outro comediante de destaque, Richard Pryor. A parceria entre os dois se iniciou com O Expresso de Chicago (1976), e eles acabaram fazendo mais três filmes juntos.

Wilder também embarcou numa carreira de diretor. Seu maior sucesso nos anos 1980 foi na comédia A Dama de Vermelho (1984), dirigida e estrelada por ele. Neste trabalho, Wilder contracenou com a esposa, a comediante e atriz Gilda Radner. Após o falecimento de Gilda em 1989, Wilder se recolheu à vida privada e começou a trabalhar cada vez menos. Suas últimas aparições como ator foram na telinha, em seriados de comédia.

Wilder foi também indicado ao Oscar pelo roteiro de O Jovem Frankenstein, o qual escreveu em parceira com Mel Brooks.

Facebook Comments