Com apenas quatro anos de existência, a Fita Crepe Filmes conseguiu um importante feito em sua curta trajetória neste sábado (30): o projeto da produtora, “O Barco e o Rio”. foi o vencedor dos pitchings do Mercado Audiovisual do Norte – Matapi 2019. A conquista garante a ida, com passagem e hospedagens pagas, para participar do Talent Coprodution Meeting, do Festival de Guadalajara 2020.

A proposta apresentada pelo diretor e roteirista Bernardo Ale Abinader é fazer de “O Barco e o Rio” um longa-metragem. O projeto já foi rodado como um curta no primeiro semestre deste ano com Carolinne Nunes e Isabela Catão de protagonistas. As filmagens aconteceram todas em um barco na orla da cidade de Manaus.

Segundo Abinader, no longa-metragem, a ideia é conseguir ir além de um único cenário para percorrer a orla de Manaus, explorando as possibilidades visuais oferecidas pela região como, por exemplo, o convívio entre bares e igrejas, além, claro, de desenvolver mais as personagens. “O Barco e o Rio” traz a história de duas irmãs antagônicas que herdam o barco da família.

A mais velha e conservadora, Vera (Catão), vê no patrimônio a vida dela, passando os dias transportando mercadorias e passageiros. Já Josi (Nunes) não gosta das restrições da irmã; possui cabeça aberta, mas vê a vida mudar devido a uma gravidez inesperada. A dinâmica da relação entre as duas e a possibilidade de um aborto são os pontos de conflito do curta. O lançamento de “O Barco e o Rio” está previsto para 2020.

Diferente do previsto, o Matapi acabou premiando mais dois projetos dos pitchings: idealizado pela Rizoma Audiovisual e defendido por Gustavo Soranz, ” Por que Kamña matou Kiña?” também foi agraciado pelo Festival de Guadalajara, enquanto “Céu”, da Artrupe Produções, poderá participar do NordesteLab, evento de marcado da região Nordeste, com direito a hospedagem, transporte e alimentação pagas pela organização.

Fundadores da Fita Crepe Filmes, Bernardo Abinader e Valentina Ricardo no Matapi 2019

CONHEÇA MAIS SOBRE A FITA CREPE

Criada em 2015 por Ana Oliveira, Bernardo Ale Abinader e Valentina Ricardo, a Fita Crepe Filmes e Artes Cênicas já produziu três curtas-metragens: “Os Monstros”, “Amém” e “A Goteira”. Por este último projeto, a direção de fotografia de Valentina recebeu menção honrosa no Festival Olhar do Norte 2019.

Além do audiovisual, a Fita Crepe promove o ‘Roda na Praça’, espetáculo artístico circense feito em praças públicas no Amazonas. Contemplado pelo Funarte, o projeto já passou por cidades como Novo Airão, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Manacapuru, além de Manaus.

CONHEÇA MAIS SOBRE O MATAPI

Parceria entre a Dabacuri Projetos e Produções, de Liliane Maia, e Leão do Norte, de Carlos Barbosa, Clemilson Farias e Rodrigo Grillo, Matapi surgiu trouxe um modelo de evento de audiovisual inédito em Manaus: nenhum filme – curta, média ou longa – foi exibido; o foco era em tratar o setor como um negócio gerador de empregos e renda.

Nos moldes de eventos como NordesteLab, Seminário Audiovisual Para Produtoras Independentes (SAPI) e RioContent, o Matapi promoveu palestras com profissionais do mercado nacional desde questões sobre direitos autorais, o papel do roteirista nos ambientes de mercados e laboratórios até o panorama da produção independente na Região Norte.

Com parceria da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas, Sebrae e do Impact Hub Manaus, o Matapi 2019 conta com patrocínio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), através do Fundo Setorial do Audiovisual, e da Agência Nacional do Cinema (Ancine).




‘De Costas Pro Rio’: dilemas de Manaus em curta irregular

Velhos dilemas (ou dilemas velhos?) sobre Manaus formam a base de “De Costas pro Rio”. Dirigido por Felipe Aufiero, diretor amazonense radicado em Curitiba há mais de uma década e co-fundador da produtora Casa Livre Produções, o curta-metragem de 16 minutos aborda a...

‘Boto’ – Episódios 12 e 13: no fim, um charme manauara inebriante

Depois de todos os atrasos possíveis na TV Ufam, “Boto” chegou ao fim. Apesar de deixar claro que não havia tanta trama para a quantidade total de capítulos, a série da Artrupe Produções encerra bem os principais núcleos da história nos dois últimos episódios e volta...

‘Boto’ – Episódios 10 e 11: afetos, traumas e intolerância

Seguindo a irregularidade característica da série, os episódios 10 e 11 de “Boto” conseguem, ao mesmo tempo, trazer momentos brilhantes – talvez, os melhores até aqui – e outros beirando o tédio. A reta final escancara que, apesar de ter cinco protagonistas, cabe a...

‘Boto’ – Episódios 8 e 9: sobra tempo e falta história

Momento confissão: chega a ser difícil escrever algo novo sobre os episódios 8 e 9 de “Boto” em exibição na TV Ufam desde a última sexta-feira, sempre às 23h, no programa Cine Narciso Lobo. Os capítulos voltam a bater nas mesmas temáticas já abordadas anteriormente...

‘Transviar’: trama inchada prejudica foco de série amazonense

As questões relativas à identidade de gênero seguem em alta no cinema brasileiro e são cada vez mais necessárias devido ao crescente fortalecimento do discurso conservador na sociedade. Produções que abordam o processo de transição de personagens transexuais têm...

‘Boto’ – Episódios 6 e 7: série cresce independente de obstáculos

Após episódios monótonos, “Boto” deu uma leve avançada nos capítulos 6 e 7, em exibição na TV Ufam (Canal 8 na Net Digital) até a próxima quinta-feira (11). Grande parte disso se deve ao foco prioritário nos relacionamentos entre os cinco protagonistas, aprofundando...

‘Boto – Episódios 4 e 5’: ou pode chamar de ‘Aquela Estrada 2’

“Aquela Estrada” é o mais bem-sucedido curta-metragem do coletivo Artrupe Produções Artísticas. Dirigida por Rafael Ramos, a produção circulou por festivais nacionais importantes como o Mix Brasil, Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e Goiânia...

‘Boto’ – Episódios 1, 2 e 3: o protagonismo da enigmática Manaus

Se a política pública de regionalização do audiovisual brasileiro adotada na última década tinha como um dos objetivos dar voz a artistas locais apresentarem realidades de locais pouco vistos na TV e cinema, “Boto” consegue ser um representante certeiro deste processo...

‘O Céu dos Índios’: afeto marca fascinante viagem por culturas indígenas

Em sua produção como diretora – que, até então, compunha-se dos curtas Strip Solidão (2013) e Dom Kimura (2016) –, Flávia Abtibol já vinha mostrando uma disposição especial para aproximar-se do mundo de seus personagens: é a empatia a qualidade que redime a narrativa...

‘Travessia’: dor e poesia na dura vida de imigrantes do Haiti em Manaus

Após uma carreira bem-sucedida em festivais com o documentário performático “Maria”, a diretora Elen Linth apostou num projeto de temática igualmente relevante, mas com uma pegada mais diferente. Trata-se de “Travessia”, longa-metragem de não-ficção dirigido em...