No cinema, nem sempre nossos filmes favoritos são aqueles que apresentam técnicas impecáveis ou histórias totalmente inovadoras. Muitas vezes, pequenos detalhes são capazes de chamar atenção e tornar um filme inesperado e despretensioso o filme da nossa vida. A seguir, Anne, Daniel, Maria Cecília, Michely e Walter falam quais filmes marcaram suas vidas e os motivos para que essas obras se tornassem tão especiais.


Filme Escolhido: ‘Meninas Malvadas’
Anne Paiva – Advogada e Fundadora do Instituto Mana

“Esse clássico dos anos 2000 inicialmente parece apenas uma comédia, mas consegue fazer uma reflexão sobre rivalidade feminina, bullying e a necessidade de termos uma cultura de sororidade, especialmente durante a adolescência, quando tantas mulheres passam por mudanças e sofrem problemas a respeito da autoestima. Apesar de ter sido dirigido por um homem, o filme foi roteirizado pela Tina Fey, que também atuou na obra. Acredito que é um ótimo filme para levantar discussões necessárias atualmente”.


Filme Escolhido: ‘Minha Vida de Cachorro’
Daniel Cunha – Designer e Padre Salesiano

“Esse filme me marcou porque o vi numa fase própria na transição da minha adolescência para juventude eu me encontrei muito no filme na história do garoto que não entende o que se passa com a mãe se descobrindo pessoalmente, entendendo relacionamentos, procurando entender a família conturbada e vivendo uma série de emoções pra idade dele. Filme lindo que toca quem vê, diretor fantástico, já o vi agora adulto e as mesmas emoções voltaram. Incrível!”


Filme Escolhido: ‘Irmão Urso’
Maria Cecília Costa – Estudante de Jornalismo na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e criadora da coluna Vírgulas Cardeais no site Mapingua Nerd

“Irmão Urso estreou quando eu tinha uns 7 anos e, desde a primeira vez que vi, nunca mais esqueci as cenas de transformação no topo da montanha. As cores e a relação espiritual entre os humanos fazem com que eu me emocione até hoje. Além do mais, o filme fala sobre a importância do amor e da sensibilidade, valores que são subjugados pelo senso comum quando se trata de vida em sociedade. Fala de sofrimento, empatia.Isso sem falar na trilha sonora que, pra mim, é uma das emblemáticas dos filmes Disney, com músicas intensas do Phill Collins. Mesmo com tudo isso, sinto que o filme não é tão reconhecido quanto deveria, o que me faz perguntar de todo mundo se já assistiu. Até hoje, é o filme que assisto quando fico triste ou simplesmente preciso de uma pausa pra ter ideias”


Filme Escolhido: ‘The Rocky Horror Picture Show’
Michely Ascari – Estudante de Cinema e Audiovisual na Universidade Estadual de Goiás (UEG)

“Um dos filmes que marcaram a minha vida foi The Rocky Horror Picture Show (1975), de Jim Sharman. O musical é a adaptação de uma famosa peça de teatro e foi muito importante pra mim tanto no sentido de expandir tudo o que eu pensava sobre linguagem cinematográfica e de quebrar paradigmas em relações a filmes musicais, quanto de entender a importância e o poder do cinema enquanto discurso, já que o filme quebra paradigmas sendo lançado nos anos setenta e discutindo questões direcionadas à grandes tabus, como o ideal de “casamento perfeito”, gênero, sexualidade e a marginalização das minorias”


Filme Escolhido: ‘Fargo’
Walter Franco – Estudante de Jornalismo na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e bolsista do projeto Cine Vídeo Tarumã

“Eu coloco Fargo como o filme da minha vida mais pelo fato da filosofia que o ele traz sobre o cotidiano, das pessoas e como elas são afetadas por eventos extraordinários. Eu gosto bastante de pensar nos personagens do filme, como eles são pacatos, como eles têm seus problemas, como eles não são super-herois, eles são bastante simples e acabam tendo que enfrentar situações que fogem das capacidades comuns. A possibilidade de ver os personagens e poder me espelhar neles é uma coisa que eu gosto. O filme também tem várias qualidades além disso o que o torna agradável de ver várias e várias vezes, mas para mim esse clima da cidade pequena é o que eu mais gosto”

Facebook Comments