Uma das coisas que mais chamou a atenção em “Rogue One” quando as primeiras informações sobre o spin-off começaram a ser divulgadas foi o seu elenco. Num contexto em que uma maior representatividade vem pautando cada vez mais o grande cinema, a expectativa em torno de uma aventura liderada por uma mulher e repleta de atores de diferentes etnias gera expectativas. Para além disso, há o fato de que a maioria deles se destaca em seus backgrounds diversos: temos de ganhadores/indicados ao Oscar a jovem artista em ascensão. Por isso, o Cine Set preparou uma lista com filmes imperdíveis para quem quer conhecer um pouco mais sobre esses atores, e, por conseguinte, o que esperar deles em “Rogue One”, que estreia nessa quinta-feira, 15.

Felicity Jones

felicity-jones-close-up-wallpaperA inglesa de 32 anos ainda não tem o nome muito consolidado ao grande público. Porém, ela já concorreu ao Oscar por sua atuação como Jane, a esposa de Stephen Hawking em “A teoria de tudo” (2014), o filme de maior proeminência de sua carreira até agora. De fato, ela apresenta uma atuação até mais interessante que a de Eddie Redmayne, que acabou levando a estatueta de Melhor Ator, pois Jones equilibra de forma mais natural a representação de um personagem real com o componente emocional da trama.

Filmes indicados: “A teoria de tudo” (2014), “Histeria” (2011)


Diego Luna

O mexicano é um dos atores latinos mais conhecidos dos EUA, embora isso ainda não tenha garantido a atenção que ele merece em terras gringas. Lá, ele é aproveitado como coadjuvante com certa freqüência em boas produções, como “Frida” (2004), “O terminal” (2004) e “Milk – A voz da igualdade” (2008), estrelando eventualmente uma produção mais indie como “Mister Lonely” (2007), de Harmony Korine. No entanto, se formos escolher apenas um item de sua filmografia como destaque, seria o mexicano “E sua mãe também” (2001), de Alfonso Cuarón, um drama sensual que aparece vez ou outra em listas de melhores filmes independentes da virada para o século XXI.

Filmes indicados: “E sua mãe também” (2001), “Milk – A voz da igualdade” (2008)


Forest Whitaker

forest whitaker

Whitaker ganhou um merecido Oscar em 2007 por “O último rei da Escócia”, no qual ele interpretou, de forma hipnotizante, o sanguinário Idi Amin. O prêmio apenas coroou sua interessante carreira, marcada por seu caráter “8 ou 80”, uma vez que Whitaker participou tanto de vários filmes esquecíveis quanto de pérolas como  “Platoon” (1986), “Traídos pelo desejo” (1992), “O quarto do pânico” (2002)  e o digno “Bom dia Vietnã” (1987). Para não ficarmos pautados apenas por Oscar, o filme que destacaremos para o ator é “Bird” (1988), de Clint Eastwood, no qual ele interpreta a lenda do jazz Charlie “Bird” Parker numa atuação impecável.

Filmes indicados: “Bird” (1988), “O último rei da Escócia” (2007)


Donnie Yen

Se o nome Donnie Yen não significa nada para você, é porque não viu filmes de artes marciais o suficiente. Ele é uma das maiores estrelas do subgênero, sendo também uma das celebridades mais populares da China. No início dos anos 2000, seus esforços no cinema deram certo em duas frentes distintas: por um lado, ele agradou ao grande público na divertida sequência “Bater ou Correr em Londres” (2003), que tinha o popular Jackie Chan no elenco; por outro lado, foi elogiado pela atuação no épico “Herói” (2002), do renomado diretor Zhang Yimou. Por fim, ele também estrelou “O grande mestre” (2008), no qual interpreta ninguém menos que o mestre de Bruce Lee, Ip Man, outro ponto alto em sua filmografia.

Filmes indicados: “Herói” (2002), “O grande mestre” (2008)


Riz Ahmed

Guardem esse nome, se ele ainda não estiver na sua lista de jovens promessas do cinema para os próximos anos. O londrino de origem paquistanesa chamou a atenção como o estagiário Rick em “O abutre” (2014), no qual ele é um coadjuvante à altura da atuação sociopata de Jake Gyllenhaal no papel principal. Em 2016, ele estourou para um novo público, o da televisão, graças ao trabalho estrelando a elogiada minissérie “The night of” (2016). Nela, ele interpretou Nasir ‘Naz’ Khan, um jovem certinho que decide curtir uma única noite e acaba enfrentando um verdadeiro pesadelo ao acordar, após uma noitada de sexo e drogas, ao lado de uma mulher assassinada, sendo ele o principal suspeito. Em breve, ainda poderemos ver Ahmed em outro filme que recebeu elogios nos festivais de cinema deste ano: “Una” (2016).

Filme indicado: “O abutre” (2014); Série indicada: “The night of” (2016)


Alan Tudyk

Seu rosto não é lá muito conhecido, uma vez que um personagem da série de televisão “Firefly”, criada por Joss Whedon no início dos anos 2000, é um dos trabalhos mais populares no qual podemos vê-lo. No entanto, para quem faz questão de ver filmes legendados, a voz de Tudyk tem sido bastante ouvida ao longo dos anos, pois ele dublou uma série de personagens em blockbusters na última década: “Eu, Robô” (2004), “Detona Ralph” (2012), “Frozen” (2013), “Zootopia” (2016) e “Moana” (2016) são alguns dos filmes nos quais a atuação particular do ator pode ser conferida. Ele também dubla personagens no game “Halo” e em desenhos animados voltados a um público mais adulto, como “American Dad!” e “Frango Robô”. Se quiser vê-lo numa ponta “em carne e osso”, a pedida é “Trumbo” (2015), que, inclusive, teve indicações ao Oscar 2016, e no qual ele interpreta o roteirista Ian McLellan Hunter.

Filmes indicados: “Detona Ralph” (2012), “Trumbo – Lista Negra” (2015)


Wen Jiang

Outra ótima aquisição vinda diretamente da China para o elenco de “Rogue One”. O ator, diretor e roteirista já era popular no oriente desde os anos 1990, quando escreveu e dirigiu o filme “In the heat of the sun” (1994), um elogiado drama que conta a revolução cultural chinesa do ponto de vista de quatro adolescentes. A comédia de humor negro “Devils on the Doorstep” (2000) novamente contou com Wen Jiang na direção, roteiro e atuação, sendo premiada no Festival de Cannes e banida na China na época. Outro bom filme feito por ele é Rang zi dan fei  (2010), uma espécie de western que se passa na China dos anos 1920.

Filmes indicados: “Devils on the Doorstep” (2000); “In the heat of the sun” (1994)


Ben Mendelsohn

Considerado um dos melhores atores australianos da atualidade, é certo que seu nome terá a atenção merecida após o lançamento de “Rogue One”. Ele é considerado por alguns uma espécie de Gary Oldman, dado o gosto por personagens de moral ambígua, que é exatamente o que vemos em “Batman: O cavaleiro das trevas” (2012), “O homem da máfia” (2012), “Rio Perdido (2014) ou “A caminho do Oeste” (2015). Da fase de filmes australianos, podemos destacar a comédia dramática familiar “Mullet” (2001), na qual ele faz o personagem-título, uma figura que dialoga diretamente com o papel que lhe valeu o Emmy de Melhor Ator em 2016: o de Danny Rayburn da série “Bloodline”, considerada por muitos o seu melhor trabalho até agora.

Filme indicado: Encarcerado (2013); Série indicada: “Bloodline” (2015-atual)


Mads Mikkelsen

Um dos melhores atores dinamarqueses do cinema contemporâneo, Mads equilibra sua carreira com primor entre filmes populares como “007 – Cassino Royale” (2006) ou no seriado cult “Hannibal” (2013-2015), no qual interpreta ninguém menos que o serial killer mais famoso da história do cinema, Hannibal Lecter, que Anthony Hopkins tornou icônico em “O silêncio dos inocentes” (1991). Se nos EUA seu rosto peculiar acaba sendo aproveitado nos papeis de vilões, na Europa a gama de personagens se expande. Dentre algumas boas obras de sua filmografia figuram “O amante da rainha” (2012), “Coco Chanel & Igor Stravinsky” (2009), “Depois do casamento” (2006) e “A caça” (2012), vencedor do Festival de Cannes em 2012 e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro naquele ano.

Filmes indicados: “A caça” (2012), “Depois do casamento” (2006)

» Leia também: Tudo o que sabemos sobre “Rogue One: Uma História Star Wars” (até agora)