Depois de estrear no cinema americano com o elogiado “Jackie“, Pablo Larraín retorna ao Chile para fazer “Ema”. O trabalho o reúne novamente com o mexicano Gael García Bernal, companheiro dos sucessos “No” e “Neruda”. As gravações terão duração de seis semanas a partir desta segunda-feira em Valparaíso, no país andino. As informações são do site Indiewire.

Roteiro original do diretor escrito ao lado de Guillermo Calderon Alejandro Moreno, “Ema” traz Gael García Bernal interpretando um coreógrafo de uma companhia local casado com uma professora vivida pela estreante Mariana Di Girolamo. O casal lida com as consequências de uma adoção que dá errado e a família desmorona. “Apenas quero colocar em crise a ideia do que é uma família hoje em dia. Isso vem acontecendo de forma única e surpreendente. Há uma nova compreensão da dinâmica familiar com a qual gostaria de lidar como reflexo do mundo contemporâneo“, afirma.

A dança será figura preponderante na trama ao mostrar os personagens se expressando através de diversos ritmos, incluindo, o reggaeton. Larraín, porém, descartou que o projeto seja um musical. “Considero mais um melodrama, algo que nunca fiz, onde os afetos das pessoas para com os outros é fundamental. Há muita música e muitas cenas delas basicamente dividindo seus sentimentos”, explicou. As ruas de Valparaíso serão o palco para as danças coreografadas por Jose Vidal. “É uma forma de transmitir uma mensagem que pode ser política, religiosa ou um tipo de vandalismo. Em vez de gritar, eles vão dançar. Eles se expressam deixando uma marca na cidade. É um projeto bem visual”, disse.

Larraín também destacou que pretende continuar nesta alternância de projetos, ora fazendo filmes nos EUA ora realizando produções no Chile. “Pessoalmente, acho que tenho muita sorte de fazer filmes em diferentes idiomas, lugar e circunstâncias. Quando você tem a oportunidade de trabalhar em uma indústria como a americana, é legal voltar e filmar em pequena escala, mas, sem nunca perder a sua integridade ou sentimento de que você não pode proteger os elementos que realmente importam”, afirma. O próximo longa do chileno em Hollywood, “The True American”, estreia nos cinemas mundiais em 2019.

Facebook Comments