O diretor Aly Muritiba anunciou nesta sexta-feira (26) que também está retirando seu filme “Para Minha Amada Morta”  da disputa a uma indicação do Brasil ao Oscar de filme estrangeiro.

É o terceiro longa brasileiro a deixar o pleito nos últimos dois dias. Durante a semana, dois outros filmes elogiados pela crítica não estão mais na lista de indicados: “Boi Neon”, de Gabriel Mascaro, e “Mãe Só Há Uma”, de Anna Muylaert.

A desistência tem sido encarada como protesto à comissão que escolherá o filme nacional para disputar uma vaga no prêmio da Academia. A polêmica teve início com mensagens que o crítico Marcos Petrucelli, integrante da comissão, divulgou em suas redes sociais ironizando o filme “Aquarius”.

A nota de Aly Muritiba afirma que a equipe de “Para Minha Amada Morta” não reconhece “a legitimidade da comissão constituída pela SaV [Secretário de Audiovisual] para escolher o representante brasileiro na disputa do Oscar 2017, portanto, nós retiramos do pleito”.

Resultado de imagem para ingra liberato

Ingra Lyberato sai da comissão

A comissão formada pela Secretaria do Audiovisual para escolher o representante do Brasil no Oscar 2017 sofreu a perda de mais um membro. A atriz Ingra Lyberato deixou o grupo na manhã desta sexta-feira (26). O anúncio foi feito pelo Facebook dela.

“Queridos colegas e amigos, declaro minha decisão de sair da comissão que vai escolher o filme brasileiro que irá concorrer a vaga no Oscar. Aceitei o convite por conhecer a intenção do Alfredo Bertini e acreditar naquele momento, que o processo poderia ser construtivo e baseado no interesse de todos. Há alguns dias comecei a sofrer por causa da retirada de alguns filmes preciosos. Estou diante da minha classe insatisfeita e clamando por justiça. Minha função diante da arte que me construiu nessa existência é atuar e escrever histórias. Não estou escolhendo um lado porque já o tinha feito desde sempre: Sou contra o golpe que impediu e retirou o governo eleito democraticamente, de suas funções. Mas não corto relações de amizade com ninguém por causa disso. Acredito na nossa união como classe artística acima de tudo. Sei que nome de grande representatividade já aceitou integrar a comissão, mas esse processo fragmentado pode comprometer nosso maior interesse: o cinema. Como a comissão tem sua legitimidade questionada por grande parte de nossa classe, me retiro em respeito a minha própria tribo, lamento profundamente esse conflito e torço para que nova comissão encontre legitimidade. Nós todos merecemos uma conclusão harmônica nesse processo. #pazsemfronteiras“, declarou.

Guilherme Fiúza Zenha foi o primeiro a anunciar o desligamento da função. “Informo que no dia de ontem, 25 de agosto, comuniquei ao MinC, meu desligamento da Comissão Especial de Seleção ao Prêmio de Melhor Filme de Língua Estrangeira (Oscar) da 89a Premiação Anual por questões pessoais”, divulgou no Facebook.

Entenda o caso

Durante a participação de “Aquarius” no Festival de Cannes, em maio deste ano na França, o diretor e a equipe manifestaram o descontentamento com o atual momento político no Brasil ao exibirem placas com críticas ao impeachment de Dilma Rousseff e a tomada de poder pelo agora presidente interino Michel Temer. Na ocasião, o crítico Marcos Petruccelli teceu comentários negativos sobre a atitude da equipe em seu perfil público na rede social Facebook e culminou com as acusações de mau uso dinheiro público.

No início de agosto, foram divulgados os membros da Comissão Especial de profissionais que definirão o candidato a uma vaga de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2017. Além de Petruccelli, compõem o grupo Adriana Rattes, Luiz Alberto Rodrigues (Beto Rodrigues), George Torquato Firmeza, Guilherme Fiuza Zenha, Ingra de Souza Liberato, Paulo de Tarso Basto Menelau, Silvia Maria Sachs Rabello e Sylvia Regina Bahiense Naves. Porém, a rusga entre o crítico, que afirmou não ter visto o filme de Mendonça Filho à época em que teceu os comentários, e o diretor é o que tem chamado atenção, embate este que ganha mais um capítulo com a resposta do diretor na Folha. Procurado pelo Cine Set para comentar sobre os trabalhos da Comissão Especial há algumas semanas, Petruccelli não quis se pronunciar.

com informações do site UOL

Facebook Comments