Um dos maiores cantores da história da música brasileira com a mancha da acusação de ser colaborador da ditadura militar. A trajetória polêmica de Wilson Simonal será tema de filme a ser dirigido por Leonardo Domingues. A produção traz Fabrício Boliveira como o protagonista e terá ao lado, novamente como par romântico, Isis Valverde, parceira no elenco de “Faroeste Caboclo”.

Fenômeno de popularidade na década de 1960, quando estourou com sucessos como “Nem Vem que Não Tem”, “País Tropical”, “Mamãe Botou Açúcar em Mim” e “Sá Marina”, clássicos da música popular brasileira, Simonal viu sua carreira meteórica desmoronar ao ser acusado de colaborar com a ditadura. Causada pela desastrada ideia de recorrer a militares para descobrir se era furtado por seu contador, a confusão lançou o talentoso intérprete no ostracismo e determinou seu fim de vida melancólico. A história já havia sido contada no documentário “Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei”, de 2009.

Outra atração “Simonal” será a presença de Leandro Hassum como o lendário produtor musical Carlos Imperial. “Quando a gente pensou no Hassum para o papel, ele estava mais gordinho, como era o Imperial, que tinha uma pegada de humor. Mas ele arrasou ao interpretá-lo. É uma sensação no set de filmagem”, conta a produtora Nathalie Felippe. Para viver o cantor de refinada técnica, Fabrício Boliveira fez aulas de canto por meses, ao mesmo tempo em que pesquisava e se preparava para encanar o pai dos músicos Simoninha e Max de Castro, produtores musicais do longa. Já Isis Valverde ganhou uma farta cabeleira loura durante o processo.

Caco Ciocler, Silvio Guindane, Mariana Lima, Claudio Mendes e João Velho completam o elenco do projeto ainda sem data prevista para chegar aos cinemas brasileiros.

Facebook Comments