Talvez o rosto nem o nome podem ser muito familiar para o grande público, mas, Rodrigo Teixeira é, sem dúvida, o brasileiro mais importante dentro do mercado de Hollywood hoje em dia. Produtor de sucessos como “Me Chame Pelo Seu Nome” e “A Bruxa”, ele lança o slasher nacional “O Animal Cordial” nos próximos dias. Na coletiva de imprensa realizada em São Paulo nesta semana, Teixeira aproveitou a ocasião para criticar a forma como o Brasil define seu representante para a disputa do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. As informações são do site B9.

Segundo Rodrigo Teixeira, a ausência brasileira no Oscar desde 1999 quando “Central do Brasil” foi indicado chama a atenção até mesmo do presidente da Academia de Hollywood, John Bailey. “Eu adoraria que o filme fosse [indicado], mas existe uma comissão que aprova o filme brasileiro que vai pro Oscar e esse comitê tem suas próprias razões pra escolha (..,) mas não necessariamente a gente é bem representado. Não estou aqui pra fazer juízo crítico dos filmes, mas eu acho que em alguns anos que são recentes a gente teve a possibilidade de ter filmes mais fortes, com alguma possibilidade real de saírem de lá vitoriosos”.

“O presidente da Academia falou [isso] pra mim em janeiro, ele perguntou onde está o cinema brasileiro que eles não veem, que a gente não está mostrando isso pra eles, que estamos mostrando filmes que são reflexo dos filmes que eles fazem lá e que eles não procuram isso. Ele me disse que a gente procura originalidade, vocês não estão mostrando originalidade para a gente. Isso é uma crítica, carregue, você é membro da Academia, carregue isso para o seu país e discuta isso com o seu país. Ele ainda disse ‘Vocês desafiam a minha inteligência, eu quando recebo os filmes aqui, eles são filmes que eu vejo todo dia no cinema norte-americano, eu não estou vendo uma diferença entre a cinematografia norte-americana e a brasileira”, completou.

Desde 2017, após acordo técnico firmado com o Ministério da Cultura, a Academia Brasileira de Cinema é a instituição responsável por indicar o longa-metragem brasileiro para concorrer a uma vaga no Oscar. Os últimos indicados do Brasil ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro foram os seguintes: “Bingo – O Rei das Manhãs” (2018), “Pequeno Segredo” (2017), “Que Horas Ela Volta?” (2016), “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” (2015), “O Som ao Redor” (2014) e “O Palhaço” (2013).

Facebook Comments