Está chegando a hora do mundo conhecer a nova fase do ‘Homem-Aranha’ nos cinemas. Nesta sexta (5), estreia a versão que traz Andrew Garfield como Peter Parker e Emma Stone como Gwen Stacey* em todos os cinemas do Brasil.

*(divulgamos primeiramente que Emma Stone interpretava Mary Jane. O correto é Gwen Stacy. Desculpem-nos.)

Boa desculpa, então, para a turma do Cine Set revisar os últimos três filmes da série que tiveram no comando Sam Raimi e foram estrelados por Tobey Maguire e Kirsten Dunst.

Vamos lá:

Homem-Aranha (2002)

Havia uma dúvida sobre o mundo das adaptações das histórias em quadrinhos para o cinema. Mesmo com o lançamento do ótimo “X-Men – O Filme” dirigido por Bryan Singer em 1999, pairava um certo ar de desconfiança com o gênero.

Um temor compreensível, devido aos desastres anteriores como “Batman e Robin” e “O Fantasma”, só para ficar nos mais constrangedores. Além disso, um ator pouco carismático como Tobey Maguire para viver o protagonista assustou muita gente.

Porém, o primeiro filme do aracnídeo comandado por Sam Raimi, se não chegou a ser ousado, entregou muito bem o que prometeu: boas cenas de ação, uma história amarrada que inseria os elementos e personagens primordiais das HQ’s e um tom de aventura descontraído na medida certa.

Belo passatempo, mas que já mostrava que poderia evoluir ainda mais.

NOTA:7.5

Homem-Aranha 2 (2004)

Livre da pressão da estreia, Sam Raimi teve mais liberdade para poder fazer o filme que queria.

Resultado: uma obra mais densa com roteiro mais bem acabado, explorando a ausência da figura paterna de Parker e os dramas e responsabilidades do dever de ser um herói, um vilão menos caricato e mais humano, uma pitada de humor e terror ali e acolá, além das incríveis reviravoltas e revelações da trama.

Para melhorar, Tobey Maguire e Kirsten Dunst também estão mais soltos e, consequentemente, à vontade em seus papéis.

Diversão de primeira!

Nota:8.5

Homem-Aranha 3 (2007)

Megalomania.

Essa é a palavra que define bem este terceiro filme e, infelizmente, por causa dela, o mais fraco de todos.

O roteiro não suportou o excesso de subtramas rasas e vilões (três, sendo que o tal do Homem Areia nunca morria), sacadas péssimas (Homem-Aranha emo?), cenas de ação sem emoção e duração excessiva.

O mais virou menos.

Em uma análise com o segundo filme, percebe-se que este não teve o crivo total de Raimi, sendo mais obra de produtores loucos por uns milhõezinhos.

No fim, a série começava a dar sinais de desgaste.

Nota:6.5

Destino dos Principais Nomes da trilogia “Homem-Aranha”

– Sam Raimi: recuperou a credibilidade que tinha na época de “A Morte do Demônio”. Infelizmente, só lançou um filme desde o último filme do Aranha: o despretensioso “Arraste-Me Para o Inferno”.

– Tobey Maguire: anda meio apagado, tendo feito apenas três filmes desde que deixou a pele de Peter Parker. Seu melhor momento, com extrema boa vontade, foi no drama “Entre Irmãos”, ao lado de Natalie Portman e Jake Gyllenhaal.

– Kirsten Dunst: deixou a linha das comédias bobinhas que adorava fazer e passou a estrelar obras de grandes diretores como Lars Von Trier (“Melancolia”), Sofia Coppola (“Maria Antonieta”) e Walter Salles (“Na Estrada).

– James Franco: mesclou obras mais densas (“Milk” e, principalmente, “127 Horas) com comédias tolas (“Segurando as Pontas” e “Uma Noite Fora de Série). Seu maior erro, porém, foi a terrível apresentação no Oscar 2011. De apagar do currículo!

– J.K Simmons: aproveitou a série como ninguém: de 2007 para cá estrelou, nada menos, que 15 filmes! Os principais destaques foram as atuações em “Juno”, “Queime Depois de Ler” e “Amor Sem Escalas”.

– Rosemary Harris: a tia do aracnídeo realizou apenas um filme desde “Homem-Aranha 3”: o ótimo “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto”.

– Cliff Robertson: vencedor do Oscar de Melhor Ator em 1969 por “Os Dois Mundos de Charly”, o ator faleceu aos 88 anos em 10 de setembro de 2011.

Facebook Comments