Os efeitos das revelações da delação premiada dos líderes da JBS provocaram estragos na governabilidade do presidente Michel Temer. Representante do PPS, Roberto Freire anunciou, na tarde desta quinta-feira (17), que entregou o cargo de ministro da Cultura. A informação é do portal de notícias G1 confirmada pela assessoria de comunicação do órgão federal.

O Ministério da Cultura vem sendo uma dor de cabeça para Michel Temer. Logo após assumir o cargo após o impeachment de Dilma Rousseff, o peemedebista decidiu fundir a pasta com a Educação com o objetivo de enxugar gastos. Protestos da classe artística brotaram em todo o Brasil e Temer resolveu rever a medida, colocando Marcelo Calero como titular do órgão em maio de 2016.

Sete meses depois, Calero saiu do Ministério da Cultura. Segundo ele, o motivo da saída foi uma pressão vinda do então Secretário do Governo, Geddel Vieira Lima, para liberar um empreendimento imobiliário em Salvador junto ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Ele ainda alegou que não contou com o apoio de Temer para impedir o lobby.

Freire ficou no lugar de Calero a partir de novembro do ano passado. Porém, com o agravamento da crise política e a pressão pela renúncia de Michel Temer, o ministro deixou o posto.

Facebook Comments