Um trabalho desastroso pode repercutir durante anos para os realizadores. John Rogers que o diga. O roteirista de “Mulher-Gato” detonou o próprio trabalho no filme de 2004 estrelado por Halle Berry em postagem feita no Twitter. As informações são do site Indiewire.

“Como um dos roteiristas de “Mulher-Gato”, tenho autoridade para dizer: porque foi um filme de merda feito por um estúdio no final de seu ciclo, com zero relevância cultural na frente e por trás das câmeras. Sinto muito vergonha””, declarou Rogers. O assunto veio à tona após Michelle Obama ressaltar a importância de “Pantera Negra” na representatividade negra nos blockbusters de Hollywood.

Dirigido por Pitof, “Mulher-Gato” acompanha a história de Patience Phillips, uma publicitária que trabalha em uma firma de beleza de sucesso, prestes a lançar seu grande novo produto. Só que Patience descobre que os produtos de beleza que estão para entrar no mercado causam um grande dano à saúde das pessoas a longo prazo e, por causa disso, acaba morta. Então um gato mágico, ancestral da época do Antigo Egito, resolve devolver a vida de Patience que lhe foi retirada, deixando que ela seja a mais nova geração de mulher-gato da história. Com orçamento estimado em US$ 100 milhões, o longa arrecadou apenas US$ 40 milhões nos EUA.

Facebook Comments