E o Google venceu a batalha contra Xuxa de novo. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o site de buscas pode continuar exibindo conteúdo em suas pesquisas que ligam o nome da ex-apresentadora à pedofilia por conta de sua participação no filme “Amor estranho amor” (1982). Xuxa tentou o bloqueio das imagens e vídeos, mas o STF não acatou o pedido novamente na última sexta-feira, 26.

Desde 2010, Xuxa tenta um recurso para desvincular suas imagens no filme dos sites de busca. Na época, seu pedido foi atendido, mas em 2012, o STJ anulou a decisão por entender que o Google não poderia ser responsabilizado pelo conteúdo.

Em “Amor estranho amor”, filme dirigido por Walter Hugo Khouri, Xuxa aparece em uma cena na qual acaricia um menino de 12 anos. A apresentadora teria, na época, entre 17 e 19 anos. Os problemas começaram quando se descobriu que o contrato de Xuxa não previa a liberação do filme para o formato de vídeo. Aliado a isso, a pirataria tratou de popularizar o filme, ao mesmo tempo em que Xuxa consolidou carreira como apresentadora de programas infantis e entrou em conflito com a veiculação da fita.

Facebook Comments