A novela sobre “The Man Who Killed Don Quixote” ganhou mais um capítulo dramático nesta segunda-feira (7). O diretor Terry Gilliam foi hospitalizado pouco antes de comparecer à justiça de Paris para responder uma ação que pede a proibição da exibição do filme, apresentada por um produtor que diz deter os direitos de “The Man who Killed Don Quixote”. A corte informou que dará seu veredicto na tarde de quarta-feira. As informações são do site The Playlist.

Segundo o site americano, as notícias sobre o real estado de saúde de Gilliam são desencontradas. O jornal Nice-Matin informou que o cineasta sofreu um derrame, enquanto o Le Point divulga que o ex-Monty Python apresentou um leve desconforto sem dar mais informações sobre o que seria exatamente. Com isso, há chances dele não ter condições físicas de comparecer ao Festival de Cannes para participar da premiere que encerra o evento.

Saiba mais sobre as polêmicas de “The Man Who Killed Don Quixote”

O longa-metragem, considerado por muitos um projeto ‘maldito’, começou a ser rodado em 2000 e quase não teve a possibilidade de estrear devido a um conflito com o produtor português Paulo Branco.

Branco que comprou seus direitos de autor-diretor através de sua empresa Alfama Films. Em troca,tinha se comprometido, entre outras coisas, a manter a data da filmagem em outubro de 2016 e a respeitar as decisões artísticas de Gilliam. Mas durante a pré-produção, os muitos desacordos entre ambos levaram o produtor a suspender o início das filmagens. Gilliam então procurou a produtora espanhola Tornasol, e com ela filmou o longa-metragem entre março e junho de 2017, na Espanha e Portugal.

O diretor lançou um procedimento ante a Justiça francesa para anular o contrato de cessão de seus direitos em favor de Branco. Mas em 19 de maio de 2017, um tribunal de Paris se pronunciou em primeira instância em favor do produtor, embora tenha rejeitado seu pedido de parar as filmagens.

Este episódio judicial prolonga um pouco mais a “maldição” que atinge há quase duas décadas “O homem que matou Dom Quixote”. Em 2000, Gilliam teve que interromper a filmagem de sua adaptação livre da célebre obra de Miguel de Cervantes, com Jean Rochefort, Johnny Depp e Vanessa Paradis, devido a uma série de infortúnios, como inundações no set de gravação e uma hérnia de disco sofrida pelo já falecido ator francês. Ele tentou ressuscitar o projeto em várias ocasiões, deparando-se com a falta de financiamento, até conseguir filmar o longa no ano passado.

Facebook Comments