O governo da Tunísia disse que os cenários de “Star Wars” no país estão protegidos do Estado Islâmico. As autoridades locais declararam nesta quinta-feira (26) que não há nada com o que se preocupar e que os alertas eram apenas “exageros da imprensa estrangeira”.

O presidente do fã-clube de “Star Wars” em Túnis recebeu uma enxurrada de mensagens de amigos preocupados com a segurança dos locais. A história teve origem em uma reportagem da CNN alertando que o local estaria na rota usada pelo Estado Islâmico entre a Tunísia e campos de treinamento na Líbia.

O relatório sugeria que os cenários seriam vulneráveis devido às recentes prisões de extremistas que passaram pela região com o objetivo de se juntar ao grupo na Líbia e a descoberta de armas escondidas perto da região de Tataouine, mesmo nome do planeta de origem de Luke Skywalker (Tatooine).

“Essa informação é falsa e sem fundamento e não reflete a realidade’, disse Mohammed Sayem, membro da comissão de turismo da cidade ocidental de Tozeur.

O coronel Mokhtar Hammami, da Guarda Nacional, disse às agências de notícias que tem 1.500 homens, incluindo forças especiais, cães e unidades especializadas no controle de bombas sob seu comando, patrulhando a área.

“Posso dizer sem a menor dúvida que tudo está sob controle. Na verdade, temos visto um grande número de turistas estrangeiros e locais na área”, disse. A história foi amplamente difundida e se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter, mesmo os principais cenários de “Guerra nas Estrelas” estando a centenas de quilômetros a oeste de Tataouine, do outro lado do país, perto de Tozeur.

“A informação é completamente maluca, cada meio foi adicionando um pouquinho a mais. Fomos obrigados a tranquilizar nossos amigos e fãs no exterior que tudo estava bem, os cenários protegidos, até aconteceu um festival de música eletrônica por aqui há algumas semanas. Existe um mundo de diferença entre uma base do Estado Islâmico e um festival de música “, disse o fã de “Guerra nas Estrelas”, Abderrahman Amer.

As preocupações com segurança no país aumentaram depois do atentado da semana passada, que deixou muitos estrangeiros entre os mortos.

da Associated Press

Facebook Comments