Conhecido por obras-primas do cinema como “Fitzcarraldo” e “O Enigma de Kaspar Hauser”, Werner Herzog defendeu a quebra dos conceitos tradicionais de roteiro. Durante uma masterclass feita especialmente para o site Indiewire, o mestre alemão afirmou considera que um grande diretor deve ser contrário aos conceitos que um roteiro deva ser feito em torno de um único personagem que irá mudar ao longo da história.

Utilizando “Aguirre – A Cólera dos Deuses” como exemplo, Herzog afirma que a história de um filme pode contar com cinco ou seis atos em vez dos tradicionais três consagrados por Hollywood. O cineasta alemão considera ainda que ser previsível é um sinal de mediocridade. Sobre financiamento, ele garante que US$ 10 mil e uma ideia extraordinária pode fazer com que o realizador consiga fazer um bom filme.

Durante o curso de seis horas em vídeo dividido em 26 aulas aborda a escrita de um roteiro, o trabalho com atores em um set de filmagem, a estratégia de filmagem, a montagem e o som. Todo o curso custa US$ 90 dólares e está disponível na internet (clique aqui).

Facebook Comments