Ao reunir Catherine Deneuve e Juliette Binoche (“Quem Você Pensa que Sou“), duas das maiores atrizes de nossos tempos, o mais recente filme de Hirokazu Koreeda ganhou os holofotes desde o início da produção. Embora provavelmente não atraia novos fãs, “A Verdade” é um envolvente drama mostra o diretor procurando novas maneiras de lidar com conflitos marcados pelo tempo. 

Além de reunir lendas do cinema francês pela primeira vez, o drama também é o primeiro filme de Koreeda fora do Japão, feito imediatamente após seu “Assunto de Família” se sagrar ganhador da Palma de Ouro em 2018. “A Verdade” se concentra em Fabienne (Deneuve), uma estrela de cinema reconhecida mundialmente que está no meio das gravações de um filme. De repente, sua vida é interrompida pela chegada da filha Lumir (Binoche), que sempre se sentiu negligenciada pela mãe e decide ir a Paris para um relato sincero das memórias de Fabienne que serão publicadas em breve. A filha contesta o conteúdo do livro. 

Koreeda é absolutamente apaixonado por dramas familiares e fez uma carreira consistente e interessante com eles. Na superfície, é exatamente isso que ele entrega aqui novamente. No entanto, como sua protagonista, “A Verdade” é repleto de fumaça e espelhos, jogando com vários dispositivos narrativos, bem como seu público. O filme brinca com imagens estabelecidas (franceses tendo discussões acaloradas durante o jantar, Deneuve interpretando uma diva gélida, etc.), a fim de criar um ensaio sobre as maneiras pelas quais as pessoas fabricam histórias e memórias, incluindo o cinema. 

Quando Lumir, por exemplo, confronta Fabienne dizendo que as memórias não são verdadeiras, ela tende a rejeitar isso como uma forma de crítica que só viria de alguém que não conhece a natureza da atuação. No entanto, as duas mulheres estão sempre agindo uma em relação à outra. As cenas que envolvem a filha de Lumir, Charlotte (Clémentine Grenier), ilustram como isso afeta as pessoas ao seu redor. 

MELODRAMA QUASE COMPLETO

A necessidade delas de atuar – para os outros e, principalmente, para elas mesmos – se mistura aos papéis de Fabienne e aos roteiros de Lumir, um ofício que ela seguiu após sua carreira não ser apoiada pela mãe. Durante as cenas de gravações do filme, a personagem de Deneuve parece incorporar o sofrimento da filha para construir sua presença na tela. É maravilhoso assistir – mesmo que não seja o melodrama completo que “A Verdade” teve todas as chances de ser.

Koreeda tem muito a oferecer ao longo dos 106 minutos do filme, mas, a abordagem aleatória faz boa parte do esforço ser em vão. Seu roteiro quer cobrir muito terreno e há tantas histórias paralelas lançadas que alguém poderia desejar que ele se prendesse às principais e as encerrasse. O fato de muitos desses trechos da serem tentadoramente bons torna ainda mais frustrante não vê-los completamente desenvolvidos. Por fim, “A Verdade” fornece ao público uma análise completa de seu assunto, mesmo que pudesse ter mais foco.

‘Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge’ e um herói para inspirar o coletivo

Vamos responder logo de cara: Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, o último filme da bat-trilogia do diretor Christopher Nolan, é o pior dos três? É. É um filme com problemas? Sim. Mas é um filme ruim? Longe disso. Na verdade, quando Nolan foi concluir sua...

‘Spencer’: Kristen Stewart luta em vão contra filme maçante

Em "Spencer", Kristen Stewart se junta ao clube de atrizes - que inclui Naomi Watts (“Diana”) e Emma Corrin (“The Crown”) - que se lançaram ao desafio de retratar a Princesa Diana. A atriz traz uma energia caótica à personagem e a coloca no caminho de uma quase certa...

‘O Garoto Mais Bonito do Mundo’ e o dilema da beleza

Morte em Veneza, o filme do diretor italiano Luchino Visconti lançado em 1971 e baseado no livro de Thoman Mann, é sobre um homem tão apaixonado, tão obcecado pela beleza que presencia diariamente, que acaba destruindo a si próprio por causa disso. E essa beleza, no...

‘Venom: Tempo de Carnificina’: grande mérito é ser curto

Se alguém me dissesse que existe um filme com Tom Hardy, Michelle Williams, Naomie Harris e Woody Harrelson, eu logo diria que tinha tudo para ser um filmaço, porém, estamos falando de “Venom: Tempo de Carnificina” e isso, infelizmente, é autoexplicativo. A...

‘A Casa Sombria’: ótimo suspense de desfecho duvidoso

Um dos grandes destaques do Festival de Sundance do ano passado, "A Casa Sombria", chegou aos cinemas brasileiros após mais de um ano de seu lançamento. Sob a direção de David Bruckner (responsável por dirigir o futuro reboot de "Hellraiser"), o longa é um bom exemplo...

‘Free Guy’: aventura mostra bom caminho para adaptação de games

Adaptar o mundo dos jogos para as telonas é quase uma receita fadada ao fracasso. Inúmeros são os exemplos: "Super Mario Bros", "Street Fighter", "Tomb Raider: A Origem" e até o mais recente "Mortal Kombat" não escapou de ser uma péssima adaptação. Porém, quando a...

‘A Taça Quebrada’: a angustiante jornada de um fracassado

Não está fácil a vida de Rodrigo: músico sem grande sucesso, ele não aceita a separação da esposa ocorrida há dois anos (sim, 2 anos!) muito menos o novo relacionamento dela, além de sofrer com a distância do filho e de ver o trio morar na casa que precisou deixar. E...

‘Halloween Kills: O Terror Continua’: fanservice não segura filme sem avanços

Assim como ocorreu com Halloween (2018), a sensação que se tem ao final da sua sequência, Halloween Kills: O Terror Continua, é de... decepção. O filme dirigido por David Gordon Green que reviveu a icônica franquia de terror no aniversário de 40 anos do clássico...

‘Flee’: a resiliência de um refugiado afegão em animação brilhante

A vida de um refugiado é o foco de "Flee", filme exibido no Festival de Londres deste ano depois de premiadas passagens nos festivais de Sundance (onde estreou) e Annecy. A produção norueguesa é uma tocante história de sobrevivência que transforma um passado...

‘Batman: O Cavaleiro das Trevas’, o filme que mudou Hollywood

Em 2008, dois filmes mudaram os rumos de Hollywood. Foi o ano em que o cinema de super-heróis passou para o próximo nível e espectadores pelo mundo todo sentiram esse abalo sísmico. O Marvel Studios surgiu com Homem de Ferro, um espetáculo divertido, ancorado por...