Com duas indicações ao Oscar e uma filmografia marcante, Jessica Chastain (‘A Hora Mais Escura’ e ‘A Grande Jogada’) definitivamente pode ser considerada um dos grandes nomes de sua geração. Entretanto, nem só de bons trabalhos são feitos atores importantes e, recentemente, a atriz tem aparecido em títulos nada gratificantes (‘It: Capítulo 2’ e ‘X-Men: Fênix Negra’). Infelizmente, ‘Ava’ é mais uma dessas bombas. Por maior que seja o carisma dela, a trama de ação não apresenta nada de novo para seu gênero nem mesmo servindo como uma diversão inofensiva. 

Na trama, Chastain é a assassina profissional Ava, a qual trabalha em uma organização secreta. Sua rotina consiste em viajar ao redor do mundo realizando execuções de forma sutil e objetiva, entretanto, questionamentos pessoais sobre seus alvos começam a criar um conflito entre seus superiores Simon (Colin Farrell) e Duke (John Malkovich), colocando sua vida em risco. Ao mesmo tempo, Ava volta visita a família e encara antigos problemas. 

Nesta tentativa de aliar a vida pessoal e profissional de Ava, o filme dirigido por Tate Taylor (‘Histórias Cruzadas’) comete uma sequência de erros, sendo o principal confiar toda trama no desempenho de seu elenco. Sim, existem bons momentos de Chastain sozinha e com o restante dos personagens principais, entretanto, as atuações não possuem um bom roteiro para justificá-las. Tudo que é apresentado sobre a vida particular de Ava soa superficial, sendo o maior problema um personagem o qual nem sequer aparece enquanto a profissão de assassina fica restrita às cenas de ação. 

INCAPAZ DE ENTRETER 

Desta forma, cenas boas como o diálogo entre Ava e sua mãe (Geena Davis) se perdem na narrativa mal organizada, restando o enorme carisma de Chastain, o qual também não consegue ocultar todos problemas da produção. Colin Farrell e John Malkovich são outra grande contribuição para o elenco mal aproveitado, além dos bons diálogos entre si, a dupla é capaz de dar vida a uma cena de ação aparentemente simples e sem grandes novidades em relação a outros momentos do longa. 

Se nem mesmo os grandes nomes do elenco conseguem salvar o filme, a trama desinteressante o joga de vez para o hall de péssimas escolhas de Chastain. Desde a primeira cena, o roteiro não toma cuidado em criar um diálogo mais maduro ou convincente, dando o tom para a narrativa. Tal escolha pelo óbvio se torna bem comum principalmente quando Ava se encontra na trama de triângulo amoroso com o antigo namorado e sua irmã. Isso mesmo, além de não impressionar nas cenas de ação, o filme também apela para clichês novelescos para continuar com sua história até o fim com direito a triângulos amorosos e revelações de gravidez repentina. 

Apesar de todos os problemas acima citados, ‘Ava’ é uma produção bem honesta, sabendo de sua dificuldade para manter o interesse em cenas de ação, o principal confronto de Ava não é alongado demasiadamente. No geral, tenho a impressão de que a real proposta do longa não é abordar os conflitos pessoais e profissionais da personagem, mas sim ser um filme de ação protocolar com uma protagonista feminina. Entretanto, qualquer que seja o objetivo, o longa falha em suas tentativas pois não consegue fazer o mínimo: entreter o público. 

‘Batman’ (1989): o filme que mudou a visão sobre super-heróis em Hollywood

Eu jamais vou esquecer aquele momento. Viaje no tempo comigo, leitor: 1989, tarde de domingo no centro de Manaus. Fui ver Batman de Tim Burton com toda a minha família. Foi no Cine Chaplin e a sala estava lotada, com gente sentada até no chão dos corredores – algo...

‘Otar’s Death’: comédia de olhar irônico sobre a mesquinhez humana

Uma relação em frangalhos, um acidente e uma quantia enorme de dinheiro são os elementos que colocam "Otar's Death" em movimento. O filme de estreia do diretor georgiano Ioseb 'Soso' Bliadze, que estreou na mostra Leste do Oeste do Festival Internacional de Cinema de...

‘Memória’: Apichatpong Weerasethakul anda em círculos em viagem à Colômbia

Na calada da noite, a protagonista de "Memória", novo filme de Apichatpong Weerasethakul (“Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas”), acorda com um barulho. Ela está desperta e sabe, de forma inata, que nada será como antes. Infelizmente, a mesma sensação...

‘Cop Secret’: ex-goleiro estreia na direção com subversiva sátira aos filmes de ação

O goleiro Hannes Þór Halldórsson se despediu da seleção da Islândia, em setembro deste ano, depois de 10 anos que viram o time alcançar algumas de suas maiores consagrações – a ida à primeira Copa do Mundo em 2018 e chegar às quartas de final da Eurocopa 2016. No...

‘Maligno’: a bem-vinda alquimia macabra de James Wan

Caro leitor, uma perguntinha pra você: quando foi a última vez em que você estava vendo um filme e ficou com a sensação de que não tinha a menor ideia de para onde a história estava indo? Quando foi a última vez em que disse para você mesmo: “não sei para onde isso...

‘Espíritu Sagrado’: sci-fi espanhola de caminhos intrigantes

Em "Espíritu Sagrado", crianças desaparecem, ovnis aparentam estar circulando pelos céus e grandes conspirações se mostram onipresentes. No entanto, no rico microcosmo criado pelo diretor e roteirista Chema García Ibarra, nada é exatamente como parece. Esta...

‘A Máquina Infernal’: o aterrorizante mercado de trabalho brasileiro

"A Máquina Infernal", curta de estreia do roteirista Francis Vogner Dos Reis, reimagina a falência de uma fábrica do ponto de vista do empregado, trocando o realismo por um clima de puro terror. O filme foi uma das duas produções brasileiras selecionadas para o...

‘Fantasma Neon’: musical dos trabalhadores invisíveis do Brasil

Se quem canta, seus males espanta, um entregador de comida tem que passar o dia todo cantando pra ter paz. Essa é a premissa de "Fantasma Neon", uma explosão de cor, dança e música que representou o Brasil no Festival de Locarno deste ano. O filme dirigido por...

‘Limbo’: metáfora sobre a negligência aos refugiados

O que é estar no limbo? Em um primeiro momento, podemos pensar que estar no limbo é estar em completo abandono, ostracismo, esquecido, no fundo do poço e sem esperança. A mais recente produção do diretor britânico Ben Sharrock (“Pikadero”) trata desta questão de uma...

‘Stillwater’: Matt Damon brilha em suspense repleto de indecisão

Baseado no caso real de Amanda Knox, "Stillwater" traz a história de Bill Baker (Matt Damon), um pai que viaja de Oklahoma para Marseille, na França, com o intuito de visitar a filha Alisson Baker (Abigail Breslin), presa por um assassinato que afirma não ter...