“Aquela Estrada” é o mais bem-sucedido curta-metragem do coletivo Artrupe Produções Artísticas. Dirigida por Rafael Ramos, a produção circulou por festivais nacionais importantes como o Mix Brasil, Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e Goiânia Mostra Curtas, além de ter chegado a eventos fora do país como o Thessaloniki LGBT Film Festival, na Grécia, o Toronto Queer Film Festival, no Canadá. Também repercutiu forte no cenário cultural de Manaus com múltiplos defensores e detratores, sendo um dos filmes locais mais comentados da última década.  

Intitulado “Fim de Festa”, o quarto episódio de “Boto” é uma verdadeira homenagem a “Aquela Estrada”. A partir da comemoração do aniversário de 23 anos de Betina (Dinne Queiroz), temos um remake do curta protagonizado por Adanilo Reis. O clima psicodélico, lisérgico se faz presente como se todos ali estivessem em estado de transe; como se tudo vivido fora para que chegassem até ali e nada mais houvesse. O corpo e a música se confundem em uma mesma sintonia – no filme, a trilha é da Supercolisor, enquanto aqui temos um apanhado de Alaídenegão e Anne Jezini. 

Há inegavelmente momentos que esta viagem vale a pena quando, por exemplo, a festa atinge o auge e todos surgem nus em um plano-sequência. Porém, tudo soa como um dejá-vu de uma viagem que já foi mais interessante ou original. Pior: o quarto capítulo de “Boto” cai na autoindulgência, uma armadilha típica de produções que falam sobre o universo cultural em que os realizadores estão inseridos. Desta forma, a série continua dando a impressão de que a diversão está mais do lado de lá, de quem fez o projeto, enquanto nós, o público, ficamos sem ser convidados. 

MARASMO NA ‘RESSACA’ 

Com um título auto-explicativo – “Ressaca” -, o quinto capítulo de “Boto” mantém o ritmo em marcha lenta com uma trama que insiste em ficar quase estagnada. Valdomiro (Lucas Wickhaus) segue em seu dilema existencial entre masculino e feminino, sendo interessante observar a reação incômoda ao ouvir Alex (Renan Tenca) dizer para ele tirar o figurino ao voltar para casa. E só.  

Falando em Tenca, o ator consegue fazer milagre com um sujeito que tinha tudo para ser uma figura aborrecida pelo roteiro insistir nos mesmos assuntos sem avançar a história do personagem. Quanto ao resto, é de se lamentar o desperdício de Dinne Queiroz, uma atriz que consegue tirar “Boto” do marasmo com sua divertida Betina. Para não dizer que nada se salva, o clipe estrelado por Daniela Blois e Ítalo Almeida é bonitinho. 

O sexto e sétimo capítulo de “Boto” vão ao ar a partir de sexta-feira (5), 23h, dentro do programa Cine Narciso Lobo, na TV Ufam, canal 8 da NET DIGITAL. 

‘Sol, Pipoca e Magia’: série resgata Joaquim Marinho e a história cultural de Manaus

A websérie documental “Sol, pipoca e magia” se debruça sobre a história de Joaquim Marinho, um dos grandes nomes da cultura amazonense, tendo trabalhado em várias áreas artísticas como agitador e produtor cultural. A obra apresenta a trajetória de Marinho desde a...

‘Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto’: doc. frio de lenda do boi-bumbá

O documentário “Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto” introduz o espectador à história de um dos principais compositores de toadas, bastante identificado com o boi Garantido (mas também com passagem pelo Caprichoso) que empresta seu nome ao título da obra. O filme é,...

‘A Hespanhola’: choque da alegoria restrita à mesma bolha

Em 2018, lembro-me de discutir com meu então mentor do programa para formação de críticos do Talent Press Rio, o português Luis Oliveira. O tópico: “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee. Na ocasião, ele defendia que o filme não era bom por ser isento de qualquer sutileza...

‘O Colar’: pedaços de grande filme ficam pelo caminho

O Festival Olhar do Norte acompanha com lupa a trajetória de Romulo Souza. Afinal, em todas as edições do evento, há um filme do jovem diretor e roteirista amazonense atualmente radicado em Santa Catarina. Na primeira edição foi “Personas”, documentário para além da...

‘Mestres da Tradição na Terra do Guaraná’: tema fascinante perde-se em pequenos excessos

O curta documentário “Mestres da Tradição na Terra do Guaraná”, com direção de Ramon Morato, foca nos músicos que mantêm vivos os ritmos de cancioneiro interiorano amazonense. São canções e ritos comunitários, cujas raízes remontam a culturas indígenas e...

‘Reflexos da Cheia’: uma viagem às origens do cinema dentro do Teatro Amazonas

Durante os nove minutos de “Reflexos da Cheia”, o público do Teatro Amazonas vivenciou uma oportunidade de viajar no tempo na terceira noite do Festival do Olhar do Norte. Engana-se quem deduz que este retorno faz referência apenas ao espantoso período de subida...

‘Cercanias / Gatos’: o universo felino e pitoresco de um condomínio de Manaus

“A Terra Negra dos Kawá” deixou a clara impressão de que Sérgio Andrade estava se repetindo em temas já abordados em “A Floresta de Jonathas” e “Antes o Tempo Não Acabava”. Parecia que os caminhos traçados até ali tinham se esgotado, tornando-se urgente e necessário...

‘Stone Heart’: frieza tira potência da mensagem

Vou abrir meu coração, caro leitor: “Stone Heart” me deixa diante de um impasse. De um lado, impossível não ressaltar o que o filme representa um avanço técnico inegável para o ainda incipiente setor da animação no Amazonas, especialmente, do ponto de vista técnico –...

‘A Bela é Poc’: afeto como resposta à violência manauara

Chega a ser sintomático como a violência de Manaus ganha protagonismo nas telas neste grande ano do cinema amazonense. Na brutalidade do marido contra a esposa em “O Buraco”, de Zeudi Souza, passando pela fúria surrealista de “Graves e Agudos em Construção”, de Walter...

‘Kandura’: documentário formal para artista nada comum

 Tive a honra de entrevistar duas vezes Selma Bustamante: a primeira foi na casa dela sobre o lançamento de “Purãga Pesika”, curta-metragem em documentário dirigido por ela em parceria com César Nogueira. A segunda foi para o programa “Decifrar-te”, da TV Ufam, no...