Para quem vive em Estados periféricos relegados constantemente ao segundo plano no contexto nacional, certas conquistas abrem portas consideradas impossíveis em um passado não tão distante. Em relação ao cinema nacional, a política de regionalização do nosso cinema permitiu a realização de longas-metragens das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste capazes de circular em festivais e chegar às salas comerciais. Aconteceu com o Amazonas graças “A Floresta de Jonathas”, no Pará com “Para Ter Onde Ir” e, agora, no Alagoas com “Cavalo”, um dos registros audiovisuais brasileiros mais contundentes dos últimos anos sobre a resistência negra e a riqueza do candomblé. 

Dirigido pela dupla Rafhael Barbosa e Werner Salles Bagetti, “Cavalo” é uma produção híbrida composta por trechos documentais, ficcionais e performances de dança de sete artistas negros de Alagoas. Através do candomblé e toda sua ancestralidade, o projeto mostra como o corpo daquelas pessoas é um instrumento de ligação com as suas raízes e, acima de tudo, de resistência social. 

Mesmo que a temática racial não seja uma novidade no atual cinema brasileiro, “Cavalo” conta com uma potência nas suas imagens e sonoridade impactantes suficientes para se destacar. Muito disso se deve à colocação do corpo negro de protagonista, um corpo em movimento nos mais diversos espaços – praia, trem, manguezais, feiras urbanas, estradas interioranas, becos e vielas, e, claro, no palco. Tudo permeado de intensa afetividade seja marcada pela amizade, angústias sentimentais tão presentes em cada um de nós ou apenas no desespero de um jovem rapaz, pelo temor do preconceito e intolerância, abraçado ao colo da mãe, na cena mais comovente do longa. 

Este caldeirão se amplifica para o campo da ancestralidade ao englobar como o candomblé constitui a força vital para a resistência deste corpo negro diante de um mundo que somente fecha portas a eles. Como explica a introdução do filme sobre a origem da vida do ponto de vista da religião e reitera uma das artistas protagonistas de “Cavalo”, a conexão com as suas raízes está na terra e, por isso, o chão, a água e a lama são outros protagonistas, o que rende momentos poéticos de extrema beleza como a sequência inicial e os números de dança angustiantes. 

Longe de ser uma produção das mais acessíveis em sua estrutura, “Cavalo” é um tratado sobre a resistência de uma religião e daquelas pessoas em suas crenças e existências, ocupando seus espaços nesta Alagoas que merece e precisa ser mais vista nas telas. 

‘Pieces of a Woman’: Vanessa Kirby brilhante em drama irregular

O plano-sequência do parto de 24 minutos e a atuação de Vanessa Kirby. Não há como fugir destes dois destaques ao falar de “Pieces of a Woman”. Disponível na Netflix, o primeiro longa do diretor húngaro Kornél Mundruczó (“Deus Branco”) até consegue ser um bom drama...

‘Bela Vingança’: resposta ácida e catártica contra a cultura do estupro

“Bela Vingança” (péssimo tradução e até com spoilers de “Promising Young Woman”) consegue embrulhar o estômago do espectador muito mais do que 99% dos filmes de terror com tripas voando ou o sadismo de um Eli Roth. Esta mistura de comédia, drama e terror dirigida e...

‘Uma Noite em Miami’: ícones da cultura negra convidam à resistência

Chega a ser curioso como “Uma Noite em Miami” ganhou configurações diferentes ao longo do tempo até o lançamento em janeiro de 2021. Afinal, na época em que foi idealizado e gravado, os EUA tinham Donald Trump no comando com sua política de lei e ordem a todo vapor...

‘Mulher Maravilha 1984’: DC regride com bomba vergonhosa

A história se repete, certo? Passamos a vida ouvindo esse ditado, e parece que é verdade mesmo. No panteão dos quadrinhos super-heróicos da DC Comics, Superman, Batman e Mulher Maravilha são conhecidos entre os fãs como “a trindade” da editora. São reconhecidamente os...

‘Soul’: brilhante animação sobre quem realmente somos

“Editor-chefe do Cine Set. Exerce o cargo de diretor de programas na TV Ufam. Formado em jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas com curso de pós-graduação na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo”.  Você encontra este texto na parte ‘Sobre o Autor’ desta...

‘O Céu da Meia-Noite’: George Clooney testa paciência em sci-fi sofrível

Galã charmoso dos moldes da Hollywood nos anos 1950, George Clooney construiu gradualmente uma trajetória para além deste rótulo. Depois de aprender com o fracasso de “Batman & Robin”, ele começou a selecionar melhor os projetos em que se meteria – até venceu o...

‘The Nest’: elegante jogo das aparências mistura drama e terror

Depois de surpreender com uma narrativa envolvente no longa de estreia em “Martha Marcy Mae Marlene”, Sean Durkin retorna nove anos depois com “The Nest” (“O Ninho”, em tradução literal). Acompanhado de atuações excelentes de Carrie Coon e Jude Law, ele traz o...

‘Let Them All Talk’: Soderbergh entre Bergman e Allen sem ser incisivo

'Galera, é o seguinte: estou pensando em fazer um filme todo gravado em um transatlântico. Vocês topam?’.  Se receber um convite destes seria tentador por si só, imagine vindo de Steven Soderbergh, diretor ganhador da Palma de Ouro do Festival de Cannes em 1989 por...

‘A Voz Suprema do Blues’: estado puro dos talentos de Viola Davis e Chadwick Boseman

"A Voz Suprema do Blues” reúne a mesma trinca de “Um Limite Entre Nós”: Viola Davis de protagonista em um filme produzido por Denzel Washington baseado em uma peça do dramaturgo August Wilson. Além dos nomes envolvidos, o projeto da Netflix guarda as qualidades – um...

‘First Cow’: uma lembrança sobre a necessidade da solidariedade

Não me surpreendo caso muitos perguntem os motivos de “First Cow” ser tão badalado e elogiado pela crítica internacional. Muito menos de uma possível insatisfação generalizada caso o longa dirigido, roteirizado e montado por Kelly Reichardt (“Certas Mulheres”) chegue...