Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças. Memória dos Pássaros. Viva – A Vida é uma Festa.

Esses são alguns exemplos de como o cinema aborda a questão da memória. O assunto desperta curiosidade pelo seu teor de desconhecimento, afeto e cientificidade; fatores que salientam também a criatividade dos cineastas quanto ao tema. Esse é o caso de “Fruto da Memória”, longa-metragem de estreia do grego Christos Nikou.

O diretor, que tem no currículo a assistência de direção de “Antes da Meia-Noite”, de Richard Linklater, e “Dentes Caninos”, nos mergulha mais uma vez no pensamento fora da caixa do cinema grego, popularizado nos últimos anos por Yorgos Lanthimos. Nessa produção em específico, somos ambientados a um mundo acometido por uma pandemia de amnésia. Assim como em “Ensaio sobre a Cegueira”, ninguém sabe como ela é transmitida e nem como curá-la; acompanhamos, então, a jornada de Aris (Aris Servetalis) para se adaptar à nova realidade.

Desaparecer de Si

A cinematografia de Bartosz Swiniarski alinhada ao design de produção nos coloca em um mundo frio, pintado de tons pastéis e impessoal. Com exceção das maçãs – que dão nome ao filme em grego -, nenhum outro objeto ou local cria conexão entre o protagonista e sua jornada. Até porque isso é uma característica da personalidade da obra. Estamos diante de um filme que mostra de forma clara como a perda da memória nos faz desaparecer.

Em sua obra “Desaparecer de Si”, o antropólogo francês Le Breton mostra formas diferentes de como nos desvencilhamos de nós mesmos e criarmos uma cultura de apagamento e como, em certos casos, isso se torna uma libertação do esforço de ser si mesmo e de responsabilidades incômodas. Esse desaparecimento não cria laços, conexões ou empatia.  Aris parece se encaixar dentro dessa categoria.

Apatia generalizada

Sem ligações com o seu passado, o protagonista se inscreve no Programa “Aprendendo a Viver”, onde ganha uma nova identidade e passa a seguir recomendações médicas restritas de como recomeçar. O personagem é extremamente apático e isso prejudica de certa forma sua trajetória, visto que, em sua busca por entender os prazeres humanos e compreender os relacionamentos para, enfim, avançar na nova vida, Aris soa robótico e preso ao automático.

Para falar a verdade, essa apatia é a característica que dá o tom de “Fruto da Memória” e nos faz pensar sobre a nossa atual conjectura, além da discussão em torno do momento sociopolítico que passa a Grécia. Dentro desse contexto, a arte assume um papel crucial: o roteiro evidencia muitas vezes o quanto a arte é importante nesse período de perda de memória e de reafirmação cultural. Ela é utilizada como um refúgio e alicerce para a renovação de memórias.

A fotografia, por exemplo, ao mesmo tempo em que é posta como um tratamento também é uma maneira do protagonista buscar encontrar sua forma de expressão. Algo que apenas enfatiza seu desinteresse e indiferença. Tais elementos, contudo, reforçam a indagação em torno da maneira que enxergamos e levamos a vida e como o esquecimento nos atinge em esferas diferentes.

“Fruto da Memória“ é um filme lento e um tanto esquisito para quem está acostumado com o cinema europeu, no entanto, representa bem a atual produção grega, fato que saliente a necessidade de apreciá-lo enquanto uma reflexão das nossas vidas e o rastro que podemos deixar. Afinal, memória é sobre afeto, permanência e importância.

Um ótimo começo para Christos Nikou.

‘Viagem ao Topo da Terra’: animação correta impressiona pelo visual e singeleza

Por que seres humanos perigosamente arriscam a vida escalando grandes montanhas? E vale a pena fazer isso, se ninguém vai registrar ou lembrar? Estas perguntas estão no cerne de Viagem ao Topo da Terra, animação francesa disponível na Netflix dirigida por Patrick...

‘Casa Gucci’: um filme de Lady Gaga e só

Se a palavra Gucci ao ser dita soa como algo doce, mas, carrega uma maldição simultaneamente como diz Patrizia Reggiani, dois momentos podem ser considerados simbólicos desta definição: o primeiro está na transformação do olhar de Patrizia ao ouvir o sobrenome vindo...

‘Encanto’: agradável ainda que nada marcante animação Disney

Apropriada para o público infantil e com fácil apelo emocional, a temática sobre família constantemente é explorada nas animações da Disney e ‘Encanto’ não foge disso. Dirigido pelo trio Jared Bush (‘Moana’), Byron Howard (‘Zootopia’) e Charise Castro Smith, o filme...

‘Ataque dos Cães’: a masculinidade tóxica dissecada e descontruída

“Ataque dos cães” trata sobre masculinidade e poder em uma obra que flutua pela sensibilidade dos detalhes. Benedict Cumberbatch (“Doutor Estranho”) interpreta Phil Burbank, um típico vaqueiro dos filmes de faroeste, tratando sua frieza e brutalidade como prêmios. Ele...

‘King Richard: Criando Campeãs’: a filosofia de Will Smith com todos seus vícios e virtudes

Há alguns anos, o astro Will Smith explicou o motivo de ter recusado o papel de protagonista no sucesso Django Livre (2012), de Quentin Tarantino. A estrela afirmou que “o único jeito de fazê-lo seria se fosse uma história de amor, não de vingança”. Bem,...

‘Earwig’: fábula dark de incapaz de envolver o público

A vida de uma menina peculiar, um homem atormentado e uma garçonete em apuros se entrelaçam em "Earwig", novo filme da francesa Lucile Hadžihalilović (“Inocência”, “Évolution”). O longa, que teve estreia em Toronto e premiada passagem em San Sebastián, foi exibido no...

‘Ferida’: Halle Berry tenta, mas, não sai de fórmulas batidas

Ferida, estrelado e dirigido pela atriz Halle Berry – marcando sua estreia como diretora – é um filme igual à sua protagonista: sincero, mas errático; intenso, mas também disperso. A produção da Netflix busca contar um drama humano dentro do universo do MMA e, com...

‘Deserto Particular’: a solidão como companheira

A solidão que a gente carrega e que nos carrega também. “Deserto Particular” é um filme sobre espaços e tempo. Logo na abertura, Daniel (Antônio Saboia) corre de noite em meio a uma rua vazia, enquanto ouvimos uma narração do protagonista direcionada a alguém que ele...

‘Tick, Tick… Boom!’: Lin-Manuel Miranda dribla resistências ao musical em grande filme

Seja no cinema ou no teatro, não conhecer ‘Rent – Os Boêmios’ e muito menos ter se emocionado ao som de ‘Seasons of Love’ é algo extremamente difícil para quem gosta de musicais. A partir dessa prerrogativa, ‘Tick Tick... Boom!’ trata-se de uma grande homenagem a esse...

‘Um Herói’: o melhor filme de Asghar Farhadi desde ‘O Passado’

Um conto-da-carochinha com desdobramentos épicos é a força-motriz de "Um Herói", novo drama de Asghar Farhadi. O longa foi exibido no Festival de Londres deste ano após estreia em Cannes, onde levou o Grand Prix - o segundo prêmio mais prestigiado do evento. Escolhido...