O mais difícil de “Histórias de um Casamento” é saber lidar com o quão engraçado ele é. Não se engane: essa é uma história devastadora sobre um divórcio e a subsequente batalha judicial dos ex-cônjuges. Porém, a delicadeza com que o diretor-roteirista Noah Baumbach toca no humor dos momentos em que as pessoas baixam suas guardas eleva esse material para além do melodrama e o transforma em um de seus melhores filmes. 
 
Nele, Nicole (Scarlett Johansson) e Charlie (Adam Driver) estão pondo fim ao seu casamento, tendo que resolver como cuidar do filho e seguir em frente. Absolutamente nada em sua história é novidade: ela se ressente de ter abandonado a carreira em Hollywood para trabalhar com o marido dramaturgo em Nova York; ele é obcecado demais pelo próprio trabalho para perceber a sua distância emocional. Ele a trai, claro – e isso cria um abismo entre os dois impossível de ser sanado. 

‘Não tão simples’ 

Nicole parte para a casa da mãe, em Los Angeles. O casal começa a discutir uma separação amigável. No desespero emocional da situação, Nicole aceita o conselho de uma colega de trabalho e procura Nora (Laura Dern), uma advogada especializada em casos de família. Isso desencadeia uma série de embates cada vez mais intensos um contra o outro. 
 
“Histórias de um Casamento” é recheado de excelentes diálogos e é hábil em evitar tomar lados no desenrolar da ação. Quem melhor descreve a situação do casal é Nicole ao tentar contar o que aconteceu no seu casamento para Nora: “Não sei por onde começar. Não é tão simples como: ‘eu deixei de amá-lo'”. 
 
Baumbach está interessado nos pequenos detalhes que fazem com que pessoas se aproximem e se afastem. Nicole se encanta pelo talento de Charlie, mas não consegue perdoar a si mesma por ter dedicado tanto de sua vida a ele. Já Charlie é interessado justamente pelo fato de Nicole se doar demais àquilo que acredita e sempre se mostrar disponível. Assim, ele passa a encará-la como algo certo e perde o interesse. 

Johansson e Dern brilham 

Apesar do roteiro não priorizar nenhum dos dois em perspectivas e tempo em cena, a caracterização de Nicole é mais complexa, o que dá oportunidade de Scarlett Johansson entregar seu melhor trabalho em anos. Caso sua recente defesa de Woody Allen não a torne mal-quista entre os votantes da Academia, ela tem boas chances de conseguir uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz por esse papel. 

Confirmando o talento de Baumbach para criar excelentes personagens secundários, Dern rouba toda a cena em que aparece como Nora. Ela é uma mulher que alega ter vivido a dor de Nicole, mas para quem o caso dela – e tantos outros – são jogos e, acima de tudo, um lucrativo negócio. Com um timing cômico impecável, Dern também merece aqui uma indicacão ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. 
 
“Histórias de um Casamento” não busca fazer um grande tratado sobre relações humanas. E sua história está longe de ser universal: as personagens, como de praxe nas histórias do diretor, são ricas e majoritariamente brancas, por exemplo. No entanto, ele se torna profundo por focar em dores específicas. Essas, sim, compartilhadas por todos. 

‘El Prófugo’: suspense digno dos clássicos do ‘Supercine’

Após um evento traumático, uma dubladora se vê às voltas com um estranho fenômeno em "El Prófugo", suspense argentino que estreou na Berlinale e foi exibido no Festival de Londres deste ano. Depois de brincar com a comédia policial em seu primeiro longa "Morte em...

‘Never Gonna Snow Again’: curiosa história de um super-herói do leste europeu

De uma terra desolada pela radiação, um viajante chega a uma cidade e, com estranhos poderes, se dedica a mudar a vida de seus habitantes. "Never Gonna Snow Again", drama polonês exibido no Festival de Londres deste ano, pode não pertencer à franquia da Marvel ou da...

Festival de Londres 2020: Parte 2 – Almodóvar intenso e Spike Lee histórico

Caio Pimenta segue a conversa com o correspondente europeu do Cine Set, Lucas Pistilli, sobre o Festival de Londres 2020 destacando os novos filmes de Pedro Almodóvar e Spike Lee.  https://www.youtube.com/watch?v=z-NCqSVhUnA

‘Kajillionaire’: Evan Rachel Wood emociona em pequeno tesouro

Uma tocante história sobre crescer e achar aceitação longe do núcleo familiar, "Kajillionaire", novo filme de Miranda July (“O Futuro”, “Eu, Você e Todos Nós”) é um projeto tematicamente ousado que confirma sua diretora como uma voz única no cinema independente...

‘Shirley’: drama explora toxicidade de relacionamento com show de Elisabeth Moss

Um passeio heterodoxo pelos bastidores do processo criativo, "Shirley" usa o cenário de um filme de época como pano de fundo de um drama cáustico. O longa de Josephine Decker, que estreou no Festival de Sundance e foi exibido no Festival de Londres deste ano, mostra...

‘Rose: A Love Story’: terror claustrofóbico ainda que previsível

Um casal que vive no meio do nada coloca seu amor à prova da maneira mais brutal neste horror psicológico britânico. Apesar de suas deficiências narrativas, "Rose: A Love Story" - que teve sua estreia mundial no Festival de Cinema de Londres deste ano - é um...

Festival de Londres 2020 – Mads Mikkelsen brilhante e ‘Ammonite’ decepciona

O correspondente internacional do Cine Set, Lucas Pistilli, conversa com Caio Pimenta sobre os destaques do Festival de Londres 2020. https://www.youtube.com/watch?v=XhaVGD7TQF8

‘Sibéria’: viagem fascinante pelo nosso abismo interior

Há muitos lugares onde é possível se perder, mas talvez o mais profundo e remoto deles seja dentro de si mesmo. "Sibéria", novo filme de Abel Ferrara que estreou na Berlinale e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é uma viagem lisérgica que pede muito do...

‘Instinct’: desejo sexual gera jogo arriscado em suspense holandês

Como qualquer estudioso de Freud pode afirmar, tesão pode ser algo complicado. Em "Instinct", estreia da atriz Halina Reijn na direção, uma nefasta atração dentro de um presídio explora os limites entre desejo e razão. Ancorado em uma atuação corajosa de Carice van...

‘O Irlandês’: o peso da violência em obra-prima de Martin Scorsese

Depois de demorar 26 anos para tirar do papel seu filme anterior, “Silêncio”, Martin Scorsese finalizou “O Irlandês”, seu novo projeto, em ‘apenas’ 12 anos. Parece adequado para uma história tão enérgica quanto intimista que aborda como o tempo afeta a vida de pessoas...