Vencedor do Tigre de Melhor Filme do Festival de Roterdã e escolhido para representar a Índia na categoria de Melhor Filme Internacional do Oscar 2022, a estreia do diretor P.S. Vinothraj em “Pedregulhos” é um ótimo exemplo de como o cinema indiano merece ser reconhecido e apreciado. O filme também fez parte da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

O longa-metragem é ambientado no sul da Índia onde estão localizadas duas aldeias. Em uma delas vive Ganapathy (Karutjtadaiyan), um homem alcóolatra, arrogante e movido por uma raiva que chega a ser doentia. A trama se inicia após Ganapthy, acompanhado de seu filho (Chella Pandi), decidir buscar a esposa que fugiu para outro vilarejo com medo do comportamento abusivo de seu marido.

Personagens engolidos pelo vazio do deserto

É nítido o conhecimento que o diretor possui da locação, pois, Vinothraj consegue explorar ao máximo a ambientação do deserto entre essas duas vilas: o vazio, o calor e a pobreza são elementos que recheiam e provocam inquietações no espectador.

Com isso, pode-se até estabelecer uma leve comparação às produções brasileiras do Cinema Novo ao abordarem a pobreza do sertão nordestino, como por exemplo, a luta pela sobrevivência de uma família de retirantes do Nordeste, na adaptação cinematográfica de “Vidas Secas”, de Nelson Pereira dos Santos.

Ainda que as motivações sejam divergentes em “Pedregulhos”, Fabiano e sua família tanto quanto Ganapathy e seu filho percorrem um caminho longo e cheio de obstáculos, empecilhos por onde passam.

Excelência narrativa e técnica

Esse resultado só é possível graças aos olhares precisos de Vignesh Kumulai e Jeya Parthiban na direção de fotografia ao posicionar a câmera em enquadramentos estratégicos. Há diversas cenas em planos abertos que evidenciam a magnitude do deserto em comparação aos moradores do vilarejo que lá transitam.

Outro ponto que enriquece o ritmo da narrativa é a montagem de “Pedregulhos”. Com poucos diálogos entre os personagens, Vinothraj decide apresentar, pelo menos, três cenas em plano-sequência. A montagem “sem cortes aparentes” elevam ainda mais a carga dramática das cenas. Vemos um simples conflito entre famílias se tornar uma grande cena de tensão, aos olhos de uma criança confusa e com medo – neste caso do filho de Ganapathy.

O trabalho de som também é digno de reconhecimento, especialmente, na primeira cena em que Ganapathy demonstra seu comportamento abusivo ao provocar uma briga dentro de um ônibus. Vemos a câmera seguir lentamente de fileira em fileira até chegar em uma mãe com um filho no colo. Durante esse movimento a presença do barulho da discussão fica em segundo plano até o som “explodir” junto com o choro do bebê ao acordar devido à confusão no transporte coletivo.

“Pedregulhos” pode não ter um enredo com subcamadas ou desenvolvimento de personagens complexos. Porém, a forma como Vinothraj apresenta a história de uma família que precisam dar conta de conflitos internos e ainda dar criar soluções para vencer a pobreza e desigualdades sociais, já valem a pena toda a experiência.

Se já em seu primeiro trabalho o diretor conseguiu cumprir com este propósito, seria interessante ficarmos de olhos no que Vinothraj e novos diretores indianos poderão trazer em futuras produções.

‘Viagem ao Topo da Terra’: animação correta impressiona pelo visual e singeleza

Por que seres humanos perigosamente arriscam a vida escalando grandes montanhas? E vale a pena fazer isso, se ninguém vai registrar ou lembrar? Estas perguntas estão no cerne de Viagem ao Topo da Terra, animação francesa disponível na Netflix dirigida por Patrick...

‘Casa Gucci’: um filme de Lady Gaga e só

Se a palavra Gucci ao ser dita soa como algo doce, mas, carrega uma maldição simultaneamente como diz Patrizia Reggiani, dois momentos podem ser considerados simbólicos desta definição: o primeiro está na transformação do olhar de Patrizia ao ouvir o sobrenome vindo...

‘Encanto’: agradável ainda que nada marcante animação Disney

Apropriada para o público infantil e com fácil apelo emocional, a temática sobre família constantemente é explorada nas animações da Disney e ‘Encanto’ não foge disso. Dirigido pelo trio Jared Bush (‘Moana’), Byron Howard (‘Zootopia’) e Charise Castro Smith, o filme...

‘Ataque dos Cães’: a masculinidade tóxica dissecada e descontruída

“Ataque dos cães” trata sobre masculinidade e poder em uma obra que flutua pela sensibilidade dos detalhes. Benedict Cumberbatch (“Doutor Estranho”) interpreta Phil Burbank, um típico vaqueiro dos filmes de faroeste, tratando sua frieza e brutalidade como prêmios. Ele...

‘King Richard: Criando Campeãs’: a filosofia de Will Smith com todos seus vícios e virtudes

Há alguns anos, o astro Will Smith explicou o motivo de ter recusado o papel de protagonista no sucesso Django Livre (2012), de Quentin Tarantino. A estrela afirmou que “o único jeito de fazê-lo seria se fosse uma história de amor, não de vingança”. Bem,...

‘Earwig’: fábula dark de incapaz de envolver o público

A vida de uma menina peculiar, um homem atormentado e uma garçonete em apuros se entrelaçam em "Earwig", novo filme da francesa Lucile Hadžihalilović (“Inocência”, “Évolution”). O longa, que teve estreia em Toronto e premiada passagem em San Sebastián, foi exibido no...

‘Ferida’: Halle Berry tenta, mas, não sai de fórmulas batidas

Ferida, estrelado e dirigido pela atriz Halle Berry – marcando sua estreia como diretora – é um filme igual à sua protagonista: sincero, mas errático; intenso, mas também disperso. A produção da Netflix busca contar um drama humano dentro do universo do MMA e, com...

‘Deserto Particular’: a solidão como companheira

A solidão que a gente carrega e que nos carrega também. “Deserto Particular” é um filme sobre espaços e tempo. Logo na abertura, Daniel (Antônio Saboia) corre de noite em meio a uma rua vazia, enquanto ouvimos uma narração do protagonista direcionada a alguém que ele...

‘Tick, Tick… Boom!’: Lin-Manuel Miranda dribla resistências ao musical em grande filme

Seja no cinema ou no teatro, não conhecer ‘Rent – Os Boêmios’ e muito menos ter se emocionado ao som de ‘Seasons of Love’ é algo extremamente difícil para quem gosta de musicais. A partir dessa prerrogativa, ‘Tick Tick... Boom!’ trata-se de uma grande homenagem a esse...

‘Um Herói’: o melhor filme de Asghar Farhadi desde ‘O Passado’

Um conto-da-carochinha com desdobramentos épicos é a força-motriz de "Um Herói", novo drama de Asghar Farhadi. O longa foi exibido no Festival de Londres deste ano após estreia em Cannes, onde levou o Grand Prix - o segundo prêmio mais prestigiado do evento. Escolhido...